Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Delegação malgaxe vinda de Maputo retida em Joanesburgo

A Delegação malgaxe, que se encontrava em Maputo a participar nas negociações relativas a composição do novo governo de unidade nacional em Madagáscar, foram impedidos de regressar ao seu país. A delegação embarcou nas primeiras horas de domingo no aeroporto Internacional de Mavalane, em Maputo, com destino ao aeroporto de Joanesburgo, na vizinha África do Sul, para apanhar o voo de ligação para Madagáscar. 

Chegados ao aeroporto, eis que a delegação encontrou uma nota do Governo de Andry Rajoelina, que ascendeu ao poder através de golpe de estado perpetrado em Março último, a dizer que não poderiam entrar no país, segundo uma fonte do aeroporto de Joanesburgo contactada pela AIM. A mesma fonte, sem especificar o número de pessoas, avançou que até ao fim da manhã de domingo a delegação continuava retida no aeroporto de Joanesburgo.

De referir que o presidente do governo de transição malgaxe, Andry Rajoelina, rejeitou reunir-se com os seus rivais políticos em Maputo, a capital moçambicana, na semana passada, para tentar desbloquear o impasse que se regista na composição do novo governo de unidade nacional. O convite, para a realização de uma reunião em Maputo nos dias 3 e 4 do corrente mês, foi formulado pelo chefe da equipe de mediação, o antigo estadista moçambicano, Joaquim Chissano.

Rajoelina defendeu que o encontro com os restantes líderes políticos deste país insular no estrangeiro seria um desperdício de dinheiro, razão pela qual propõe a realização de negociações através de vídeoconferência. Ademais, falando numa conferência de imprensa, Rajoelina disse que seria vergonhoso viajar para o estrangeiro apenas para discutir a distribuição de algumas pastas ministeriais.

“As negociações já estão concluídas. Agora, estamos na fase da implementação dos acordos”, disse Rajoelina. Contudo, os restantes três signatários dos Acordos de Maputo, os antigos presidentes malgaxes designadamente Marc Ravalomanana, Didier Ratsiraka e Albert Zafy, aceitaram o convite do antigo estadista moçambicano para se deslocarem a Maputo e alcançaram um acordo.

A crise política instalou-se em Madagáscar quando Rajoelina, antigo Disc Jockey decidiu tomar o poder, através de um golpe de estado com a ajuda de uma facção do exército. Como consequência disso, este país insular foi suspenso da Comunidade de Desenvolvimento da Africa Austral (SADC) e da União Africana (UA) até a restauração da ordem constitucional. Outros países ocidentais juntaramse a UA, suspendendo a assistência económica ao Madagáscar.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!