Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

CTA teme eventualidade da eclosão de conflitos

A Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA) diz temer a eventualidade de eclosão de conflitos entre os titulares de licença de prospecção e investigação e os de licença de exploração de recursos minerais para construção que recaem na mesma área geográfica.

Em documento submetido ao Ministério dos Recursos Minerais, contendo o seu parecer sobre a proposta de Revisão da Lei de Minas 14/2002, de 26 de Junho, a CTA afirma, contudo, que a nova proposta de lei tem o mérito de clarificar o regime jurídico que se encontra sujeito ao uso e aproveitamento do gás metano associado ao carvão.

Contudo, a agremiação afirma estar preocupada com a necessidade de regulamentação da nova Lei no mais breve espaço de tempo, definição muito mais clara das condições de acesso a título de minas e também definição clara de alguns termos que podem levar à interpretação ambígua do novo dispositivo legal, nomeadamente, descoberta, balancetes adequados e danos ambientais graves.

As demoras sistemáticas na atribuição da licença ambiental e DUAT podem comprometer o prazo de 36 meses para o início de exploração imposto pela nova Lei, de acordo ainda com a CTA no seu parecer sobre a proposta de revisão da lei de Minas.

Uma outra inquietação da classe empresarial moçambicana relaciona-se com a opção de participação do Estado nos empreendimentos estratégicos por precisar de ser tipificada e claramente definida para não afectar a estrutura societária dos titulares, sugerindo, entretanto, que o período de estabilidade contratual deve contar do início de exploração comercial e ser estendida para um período de quinze anos.

A nova lei, de acordo ainda com a CTA, vem dar primazia à garantia monetária para a reabilitação de terra, porém, vem limitar outras formas não monetárias, actualmente em vigor.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!