Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Crise internacional afecta praias de Cabo Delgado

Crise internacional afecta praias de Cabo Delgado

Cabo Delgado, a província no norte de Moçambique onde se situam algumas das mais procuradas e afamadas praias do país, registou em 2008 uma quebra na procura turística, atribuída à “presente crise financeira internacional”. De acordo com o presidente da Associação de Hotelaria e Turismo em Cabo Delgado (AHTCD), Chabane Cumbe, a província foi visitada em 2008 por 35 mil turistas, uma quebra de 16 mil turistas face aos 51 mil registados em 2007. Chabane Cumbe atribuiu esta quebra na procura turística deve-se à “presente crise financeira internacional”, já que a maioria que turistas que visitam as praias desta província são oriundos de países ocidentais, afectados pela “subida do preço do transporte aéreo”. Para contornar esta quebra numa província onde se situam algumas das mais belas praias do país (casos de Pemba ou do arquipélago das Quirimbas, onde a oferta é sobretudo de gama média-alta), as autoridades moçambicanas estão a apostar no turismo nacional. “Vamos investir na construção de novas estâncias turísticas que possam beneficiar também pessoas com menos posses, sobretudo turistas moçambicanos, para assegurar a sustentabilidade da indústria hoteleira nacional, caso se registe uma drástica diminuição no fluxo do turismo internacional”, disse o responsável da AHTCD. Recentemente, o Ministério do Turismo moçambicano revelou que o investimento do sector do turismo – que representa cinco por cento do PIB do país – caiu 24,3 por cento em 2008, constituindo esta a primeira quebra depois de vários anos de crescimento. Em 2007 foram investidos cerca de 977 milhões de dólares neste sector em Moçambique, número que caiu para cerca de 740 milhões de dólares no ano passado. Apesar disso, em 2008 foram apresentados e aprovados mais projectos do que em 2007 (237 contra 171 projectos aprovados, respectivamente), embora o volume de investimento tenha sido menor.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!