Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Criança na imprensa

Criança na imprensa

Desde 2007 que o MISA-Moçambique, em parceria com o UNICEF, tem vindo a realizar uma monitoria sistemática do desempenho dos meios de comunicação social com vista a contribuir para melhorar quantitativa e qualitativamente a cobertura jornalística sobre a criança no país.

O último relatório apresentado por aquelas duas instituições parceiras aponta a “Educação” como o tema mais abordado pela imprensa nacional no que respeita à criança, seguido da “Protecção contra o Abuso Sexual, a Violência e o Tráfico”, da “Saúde e Nutrição” e da “Participação da criança”. Nos anos anteriores, constatou- se que a priorização de temas relacionados com a saúde, educação, violência abuso sexual, não corresponde às maiores privações enfrentadas pelas crianças, nomeadamente o acesso à água e saneamento, informação, entre outros. Neste momento, está em processo a produção de mais um documento com recomendações sobre a criança na imprensa relativo ao ano de 2009.

Segundo nos deu a conhecer o oficial de parceria do UNICEF, Emídio Machiana, sobre o relatório que será publicado ainda este ano, de maneira geral, os assuntos relacionados com os direitos das crianças têm vindo a merecer particular atenção na imprensa local. Porém, comentou que ainda não se verifica a participação de crianças como uma fonte na produção de conteúdos noticiosos, ou seja, a criança ainda não constitui prioridade para os órgãos de comunicação na sua acção de informação pública.

“Constata-se que a criança ainda não está no centro da agenda da cobertura jornalística, mas refira-se também que este é um cenário que tende a mudar, graças ao trabalho que o UNICEF e parceiros têm feito”, disse Machiana. As questões éticas e geográficas na abordagem de assuntos ligados à criança são alguns dos aspectos que preocupam aquela organização não governamental. De acordo com o oficial, os media não têm cumprido os mais básicos princípios éticos e não há equilíbrio, em termos geográficos, ao retratarem assuntos que envolvem crianças. “As crianças que são vítimas de algum abuso continuam a ser expostas na imprensa sem se olhar para os princípios deontológicos, e as que vivem em zonas recônditas não têm merecido a atenção dos meios de comunicação social”, sublinhou.

FUNDO DE APOIO A TRAVALHOS JORNALISTICOS

Desde Fevereiro de 2008, o UNICEF Moçambique e o MISA dispõem de um fundo de apoio à produção de trabalhos jornalísticos investigativos relacionados com a situação da criança no país. Esta iniciativa tem como objectivo providenciar suporte financeiro para custear despesas logísticas dos jornalistas que pretendam produzir reportagens em lugares remotos ou difíceis de serem cobertos pelos meios de comunicação social. O UNICEF e o MISA pretendem, com este valor estimular o desenvolvimento de reportagens mais abrangentes e pertinentes sobre a situação da criança, da realização dos seus direitos nos vários pontos do país, e a abordagem de assuntos que até então têm merecido pouca atenção na imprensa.

O fundo apoia iniciativas de vários jornalistas, incluindo se acompanhados de fotográfo ou operadores de câmara. “Tem havido muito interesse por parte dos jornalistas em relação ao fundo, sobretudo os que estão sedeados fora da capital do país”, comentou Emídio Machiana.Os critérios para a obtenção do fundo são, nomeadamente a pertinência do tema a abordar, no quadro da situação da criança em Moçambique; a qualidade do argumento apresentado para a escolha do tema; local de difícil acesso sem o devido apoio financeiro, mas cuja importância é demonstrada; e assunto pouco ou não devidamente abordado pelos media.

REDE DE JORNALISTAS AMIGOS DA CRIANCAS

A Rede de Comunicadores Amigos da Criança é uma instituição nacional de jornalistas, comunicadores e profissionais de comunicação social que se dedicam à matéria ou têm particular interesse em reportar e documentar assuntos relacionados com a criança.

A mesma surge em 2007, como resultado de uma parceria entre o MISA–Moçambique e o UNICEF, no quadro do programa ASDI/UNICEF que reúne um total de 12 organizações da sociedade civil que trabalham em prol da promoção e protecção dos direitos da criança em Moçambique.Esta rede tem por objectivo aproximar os jornalistas e comunicadores que têm demonstrado interesse particular em assuntos relacionados com a criança; providenciar informações e oportunidades de capacitação dos jornalistas sobre as boas práticas jornalísticas visando a protecção das crianças e advocacia pelos seus direitos; realizar e publicar análises regulares do desempenho dos media na cobertura de assuntos relacionados com a criança, para debate entre os jornalistas e especialistas interessados; e promover debates públicos sobre questões ligadas aos direitos e valorização da criança em Moçambique.

Para este ano, o organismo pretende apresentar o relatório de monitoria sobre a cobertura dos media sobre os direitos das crianças; realizar duas sessões de formação nas regiões centro e norte do país sobre a violência e o abuso sexual da criança; e proceder ao lançamento do Fundo de Apoio a Trabalhos Jornalísticos. Importa referir que, actualmente, a rede reúne cerca de três centenas de comunicadores amigos da criança e tem representação em todas as províncias do país através de jornalistas e comunicadores que trabalham em diversos órgãos de comunicação social, estando a ser coordenada pelo MISA –Moçambique através da sua sede em Maputo e dos seus núcleos provinciais.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!