Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
Publicidade

Conflito Homem e Fauna bravia mata 36 pessoas em Manica

Pelo menos 36 pessoas morreram no ano passado (2009), na província central moçambicana de Manica, em consequência de ataque por animais bravios. Este número representa três vezes mais o numero de vitimas comparativamente ao ano anterior em que morreram 12 pessoas devido ao conflito Homem Fauna bravia neste ponto do país.

Segundo a governadora de Manica, Ana Comoane, 30 das vitimas mortais em 2009 resultaram do ataque de elefantes, crocodilos e hipopótamos, enquanto seis foram atacados por serpentes.

Comoane revelou o facto durante a sessão extraordinária do governo provincial alargada aos administradores distritais , presidentes dos Municípios e outros quadros, realizada segunda-feira, em Catandica, distrito de Bárue, a noroeste de Manica e que foi dirigida pelo Presidente da Republica, Armando Guebuza, por ocasião da sua visita a esta província, que entra no seu segundo dia, na terca-feira. 

Para fazer face a esta situação, o governo provincial tem estado a tomar algumas medidas, nomeadamente o treinamento de fiscais (já foram formados 96), sinalização das áreas críticas e disponibilização de armas de fogo, que permitiram o abate de 23 animais problemáticos.

Outras medidas inovadoras consistiram no licenciamento de duas empresas para a captura de serpentes e igual número para a recolha de ovos de crocodilo. No que diz respeito às queimadas descontroladas, a província de Manica, de acordo com a governadora, tem vindo a registar um decréscimo bastante significativo no número de casos, devido a intensificação de campanhas de sensibilização.

Antes de Manica, o Presidente moçambicano visitou cinco postos administrativos de iguais distritos da província da Zambézia, onde manteve contactos com as populações e autoridades locais, bem como visitou algumas unidades sócio-economicas.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!