Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
Publicidade

Conferência Mundial sobre Clima Lança Serviços Meteorológicos

Conferência Mundial sobre Clima Lança Serviços Meteorológicos

Líderes mundiais, cientistas que estudam o clima e especialistas de sectores como água, agricultura e saúde terminaram o seu trabalho aqui a 4 de Setembro, na terceira Conferência Mundial sobre Clima, lançando uma medida que ajudará as pessoas a compreenderem melhor e a adaptarem-se a um planeta em mutação rápida. O Quadro Mundial para Serviços Climáticos, acordado por mais de 2.000 participantes na conferência, reforçará a produção, disponibilidade, prestação e aplicação de previsões climáticas de base científica e outros serviços.

Também estabelecerá um mecanismo para trabalhar com as comunidades e outros utilizadores da informação meteorológica a fim de criar produtos úteis e através de formação e educação reforçar as capacidades nos países em desenvolvimento para produzir e aplicar os seus próprios serviços meteorológicos. “Estou muito entusiasmada com esta conferência”, declarou Jane Lubchenco, administradora da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) durante uma conferência de imprensa a 3 de Setembro.

“Acredito que hoje será lembrado como o dia em que os serviços meteorológicos nasceram oficialmente. Tal como dependemos de todos tipos de serviços meteorológicos, em breve – se os nossos esforços forem bem sucedidos – podemos contar com uma série de previsões e serviços sobre o clima de base científica”, acrescentou. (Ver “Adaptação a Alterações Climáticas Muda Enfoque de Reunião em Genebra”).

SERVIÇOS METEOROLÓGICOS

Dentro de quatro meses a Organização Meteorológica Mundial (OMM) reunirá um grupo de trabalho especial de conselheiros independentes de alto nível, que consultarão governos, organizações parceiras e outras partes interessadas antes de recomendar os elementos do quadro. Alguns dos elementos já existem mas precisam de ser reforçados incluindo o Sistema Global de Observação do Clima (GCOS) e o Programa de Investigação Mundial do Clima (WCRP) O GCOS, criado em 1992, é um sistema operacional, internacional de bóias, sensores, aeronaves e satélites que monitorizam as propriedades físicas, químicas e biológicas do sistema meteorológico e atmosfera, oceano, terra, água e gelo seus componentes. É co-patrocinado por OMM, Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI) da UNESCO, Programa das NU para o ambiente e Conselho Internacional para Ciência (ICSU).

O WCRP foi criado em 1980 pela OMM e pelo ICSU e desde 1993 tem sido co-patrocinado pela COI. Foi formado para determinar a previsibilidade do clima e o efeito das actividades humanas no clima. Os seus esforços tornaram possível aos cientistas monitorizar, simular e projectar o clima mundial com uma exactidão sem precedentes. Há dois elementos novos: um sistema de informação de serviços climáticos criará informação, produtos, previsões e serviços e um programa de interface com o utilizador desenvolverá formas da colmatar a lacuna entre informação sobre o clima a ser desenvolvida por cientistas e as necessidades de informação prática dos utilizadores.

Quando o quadro for desenvolvido fornecerá o tipo de serviços de que as pessoas precisam para se adaptar a um clima em mudança. “Imagine agricultores a serem capazes de decidir o que plantar e quando com base em previsões de secas com três a cindo anos de antecedência”, disse Lubchenco aos participantes na WCC-3 a 3 de Setembro. “Imagine comunidades no litoral capazes de se preparar para o aumento do nível do mar e a intensidades da tempestade… planificadores costeiros ou gestores hídricos capazes de assegurar a disponibilidade de água potável, produção de energia, agricultura e muitas outras utilizações… profissionais da saúde pública prontos para ou capazes de evitar surtos de malária com base em previsões da precipitação a mais longo prazo”.

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS EM ÁFRICA

Como consequência da reunião em Genebra, muitos africanos responsáveis pela meteorologia anunciaram a 4 de Setembro que se reunirão de 15 a 19 de Março de 2010 para discutir pela primeira vez as formas de reforçar a informação sobre o tempo, o clima e a água a fim de tomarem decisões. A reunião será organizada pela OMM e a União Africana. O continente africano é particularmente vulnerável às alterações climáticas. O número e a magnitude dos riscos estão a aumentar perante um sistema climático em aquecimento. Todos os sectores em África são afectados, desde a agricultura, água e segurança alimentar a saúde e silvicultura.

Os serviços meteorológicos e hidrológicos nacionais africanos têm um papel importante a desempenhar na avaliação e monitorização das alterações climáticas, disse o Secretário Geral Assistente da OMM, Jeremiah Lengoasa, durante a reunião WCC-3 e os seus sistemas de alerta precoce são essenciais para ajudar a evitar desastres naturais. “O principal desafio de África reside na disponibilidade de dados sobre o clima e na capacidade de processamento”, declarou Ali Mohamed Shein, vice-presidente da Tanzânia aos delegados a 3 de Setembro.

“Os serviços meteorológicos e hidrológicos na região exigem a expansão e modernização de redes de observação, um sistema de telecomunicações moderno para comunicar dados relevantes e trocar instrumentos de processamento e previsão”. A reunião ministerial africana abordará a contribuição dos serviços meteorológicos nacionais para os esforços dos governos africanos de desenvolverem medidas de adaptação às alterações climáticas.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!