Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Coligação de Merkel lidera pesquisas na Alemanha depois de dois anos

A coligação de centro-direita da chanceler alemã, Angela Merkel, assumiu a liderança na preferência nacional sobre os principais partidos de oposição pela primeira vez em dois anos, mostrou uma pesquisa, este Domingo.

O resultado ocorre graças ao crescimento do Partido Pirata em detrimento dos sociais democratas. Uma pesquisa do instituto Emnid para o jornal Bild AM Sonntag colocou os conservadores, de Merkel, com 36 por cento da preferência nacional, e os Democratas Livres (FDP), que fazem parte da coligação, com 4 por cento.

Isso coloca a coligação com uma pequena maioria, pouco acima do apoio combinado dos sociais democratas (SPD), que caíram de 27 para 26 por cento, e dos Verdes, com 13 por cento.

Se a pesquisa traça uma tendência, ela pode aumentar as chances de Merkel retornar ao poder, com o FDP permanecendo na liderança da maior economia da Europa depois das eleições federais de Setembro de 2013.

“A razão foi a forte performance do Partido Pirata”, afirmou o Emnid na sua análise. Os Piratas, que fazem campanha pela liberdade na Internet, subiram para 10 por cento, o maior nível desde Outubro na pesquisa da Emnid, retirando assim apoio do SPD.

O partido, cuja popularidade subiu desde que a legenda ganhou assentos em duas recentes assembleias regionais, tem importância na política nacional, pois altera a aritmética das coligações.

Outras recentes pesquisas mostraram que os dois sectores tradicionais, de centro-direita e centro-esquerda, estão praticamente empatados.

Embora os conservadores tenham 10 pontos percentuais de vantagem sobre o SPD, a fraqueza do FDP cortou as opções de coligação de Merkel.

Isso faz vários analistas preverem uma “Grande Coligação” de conservadores e sociais democratas sob o comando de Merkel como possível resultado da eleição.

Os especialistas afirmam que os Piratas podem manter o recente sucesso até a eleição federal. Mas uma discussão sobre se os líderes da legenda deveriam ser remunerados mostrou que o partido ainda tem trabalho pela frente para mostrar sua força no âmbito nacional.

A legenda recusou-se a comentar vários importantes assuntos económicos e de política internacional.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!