Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

CNT líbio opera ligeiras modificações no seu Comité Executivo

As novas autoridades líbias decidiram reconduzir o seu Comité Executivo (Governo de Transição), introduzindo nele ligeiras alterações enquanto se espera pela libertação total do país para começar a fase transitória. O anúncio destas modificações foi feito segunda-feira em Benghazi, a mil e 50 quilómetros leste da capital, Tripoli, pelo presidente do CNT, Mustapha Abdeljelil.

O presidente do CNT falava durante um briefing conjunto com o secretário do Comité Executivo, Mahmoud Djibril, que foi mantido no seu posto e conserva igualmente a pasta dos Negócios Estrangeiros, ao passo que o cargo de vice-primeiro-ministro foi suprimido.

Na sequência dessas alterações, o Ministério da Educação e Ensino foi confiado a Slimane Ali Al-Sahli, e o do Ambiente a Belgacem Al-Nemer, ao passo que a nova pasta da Reconstrução será assegurada por Ahmed Al-Jihani, e as da Defesa, da Saúde, dos Assuntos Sociais e dos Assuntos Religiosos respetivamente por Jelal Deghyli, Nagi Barakat, Hania Al-Ghamati e Hamza Abu Farés.

Por outro lado, o Ministério da Economia foi atribuído a Abdallah Chamia, o dos Transportos e Telecomunicações a Annouar Fitouri, e o da Assistência às Familias dos Mártires, Feridos e Desaparecidos (novo) a Abderrahmane Al-Kissa. Em contrapartida, Ali Tarhouni mantém-se no Ministério dos Petroléos e Finanças, à semelhança de Mahamoud Chamam no da Informação, Moham Allagui no da Justiça e Ahmed Dharat no do Interior.

O presidente do CNT exortou os Líbios a ter em conta esta “fase crucial e exepcional” que o país atravessa, prometendo que, um mês após a declaração da libertação total de todo o território nacional, um novo Governo de Transição será formado.

Por seu turno, o secretário do Comité Executivo, Mahmoud Djibril, lembrou que ele apresentou a sua demissão, entretanto rejeitada pelo CNT , que fundou a sua recusa na “conjuntura execional” que o país vive, mas ele afirmou que esta demissão será efetiva após a libertação total da Líbia.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!