Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

CNE exclui sete partidos e três coligações para eleições Legislativas e Provinciais

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) de Moçambique rejeitou as candidaturas de sete partidos e três coligações para as eleições de 28 de Outubro, por não reunirem os requisitos formais de apresentação de candidaturas, segundo o estabelecido na legislação atinente a matéria.

Segundo a lista definitiva publicada hoje pela CNE, de entre os partidos rejeitados está o PIMO (Partido Independente de Moçambique) de Yaqub Sibindy, percursor da chamada oposição construtiva, composta por um grupo de pequenas formações políticas. Sibindy havia concorrido também para as presidenciais, tendo a sua candidatura sido chumbada pelo Conselho Constitucional (CC).

A deliberação consensual da CNE, exclui ainda o SOL (Partido Social e Liberal de Moçambique), PANAMO (Partido Nacional de Moçambique), PASOMO (Partido de Ampliação Social de Moçambique) e PPLM (Partido Progressista e Liberal de Moçambique) de Neves Serrano. Consta também da lista dos excluídos o PCD (Partido Conservador Democrático) e o PUMLD (Partido Unido de Moçambique da Liberdade Democrática), bem como as coligações UD (União Democrática), UNO (União Nacional de Oposição) e UPM (Unidos de Moçambique). Assim, a CNE apurou 17 partidos e duas coligações para as eleições legislativas de 28 de Outubro próximo.

Constam da lista dos apurados pela CNE, o partido Frelimo, Renamo, Movimento Democrático de Moçambique (MDM), Partido para Paz Democracia e Desenvolvimento (PDD), Partido Ecologista, Partido para Liberdade Democrática (PLD), Partido Trabalhista (PT), Partido para Renovação Democrática e Social (PRDS), União para Mudança (UM), Aliança Independente de Moçambique (ALIMO), Partido Popular Democrático (PPD), PANAOC, MPD, PAZS, PARENA, UDM e o Partido os Verdes de Moçambique (PVD). A CNE aceitou ainda as candidaturas das coligações Aliança dos Antigos Combatentes para o Desenvolvimento (ADACD) e União Eleitoral.

Espera-se que, ainda nos dias de hoje, sejam sorteadas as candidaturas dos partidos apurados de forma a determinar o posicionamento de cada um nos boletins de voto. De salientar que o sorteio do posicionamento dos candidatos à presidência da República efectuado em Agosto último colocou o líder e candidato do Movimento Democrático de Moçambique, Deviz Simango, para afigurar em primeiro lugar no boletim de voto, enquanto que o candidato da FRELIMO, Armando Guebuza, e o da RENAMO, Afonso Dhlakama, ocupam o segundo e terceiro lugares respectivamente.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!