Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cidadão escapa do linchamento por alegada propagação da cólera em Nampula

Um cidadão de nome Amisse Ali, de 24 anos de idade, residente no bairro de Namicopo, na província de Nampula, Norte de Moçambique, escapou de um linchamento, na manhã desta segunda-feira (25), depois de ter sido amordaçado e colocado um pneu sobre os ombros por um grupo de populares alegadamente porque é um dos responsáveis pela propagação da cólera.

O caso deu-se concretamente na Unidade Comunal Palmeiras 2. Amisse Ali entregou à sua esposa um comprimido, com o qual supostamente devia se prevenir das diarreias que assolam a população daquela zona. Porém, a esposa, que não estava informada sobre os procedimentos a tomar para o uso do fármaco, comentou com alguns familiares. Estes concluíram que o comprimido era a causa da cólera e o objectivo do jovem era matar a sua companheira.

No domingo (24), os familiares da jovem decidiram “caçar” Amisse Ali para tirar satisfações. O pior não aconteceu graças à pronta intervenção da Polícia, mas depois de ter sido torturado.

Segundo as suas explicações, o fármaco que deu à esposa foi oferecido pelo secretário do bairro e a intenção era prevenir a sua mulher da diarreia que lhe apoquentava desde a semana passada.

Entretanto, o secretário do bairro de Namicopo, Júlio Nihembe, de 46 anos de idade, residente no quarteirão 22, negou ter oferecido algum comprimido ao jovem.

O porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM) no Comando Provincial de Nampula, Inácio Dina, disse que considera este tipo de caso estacionário, mas devido à falta de colaboração dos munícipes e das autoridades municipais parece a onda de desinformação está voltar a ser preocupante.

Refira-se que ainda na manhã desta segunda-feira (25), os populares da Unidade Comunal Palmeiras 2 vandalizaram novamente a casa do secretário Júlio Nihembe.


Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!