Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Chineses querem construir Casino em Ricatla

Um grupo de empresários da região autónoma chinesa de Macau pretende construir um casino no recinto da Feira Internacional de Maputo (FACIM), em Recatla, distrito de Marracuene, Sul de Moçambique.

Esta intenção foi anunciada, Sábado, pelo presidente do Instituto para a Promoção de Exportações (IPEX), João Macarringue, falando em conferencia de imprensa de balanço da 47ª edição da FACIM que termina ainda Sábado em Ricatla.

“Há uns empresários de Macau baseados na África do Sul que vieram aqui e estão interessados em montar aqui um casino”, disse Macarringue, sem avançar mais detalhes.

Este é apenas um exemplo dos diversos contactos estabelecidos durante a feira de uma semana e que vai ao encontro do anseio do IPEX em rentabilizar as novas instalações da FACIM construídas há apenas quatro meses em Ricatla.

“Há também interesses na área de construção de hotéis. O Centro de Promoção de Investimentos (CPI), em coordenação com o Governo, tem referenciado o distrito de Marracuene para todas as iniciativas que aparecem agora para o aumento da capacidade de alojamento no país”, disse ele.

Assim, para responder a esses investimentos, o IPEX está a trabalhar com as autoridades da província de Maputo, e particularmente do distrito de Marracuene, no sentido de fazer o ordenamento territorial do recinto da FACIM de modo a saber em que lugar se deve colocar determinadas infra-estruturas.

Na sua interacção com a imprensa, Macarringue explicou que o projecto inicial de construção de um pavilhão multi-uso no recinto da FACIM não mudou, mas que ainda não se tem os 45 milhões de dólares do investimento necessário para o efeito.

“O que estamos agora a fazer é um compasso de espera enquanto encontramos uma engenharia financeira que vai possibilitar a captação de investimentos para a realização do empreendimento”, afirmou a fonte.

Além disso, um outro grande desafio do IPEX consiste em dar vida ao novo recinto da FACIM, com a criação de infraestruturas ou serviços que possam incentivar a permanente utilização daquelas instalações durante todo o ano e não apenas durante aquela exposição anual.

Para Macarringue, uma das formas de atingir esse objectivo é através de apetrechamento do parque infantil já construído naquele local ou a construção de alguns restaurantes, serviços que se acredita possam vir a atrair mais pessoas.

Outro plano do IPEX consiste em realizar reuniões e feiras especializadas ao longo do ano sobre diversos temas como a de gado que acontecerá dentro de seis meses.

Na sua entrevista, Macarringue disse que a 47ª edição da FACIM decorreu de forma satisfatória. Aliás, a mesma superou as expectativas ao ultrapassar os 60 mil visitantes inicialmente previstos.

Com efeito, até ao Sábado passado, cerca de 63 mil pessoas visitaram a feira, esperando-se que este número venha a aumentar ainda mais até ao encerramento do certame, na noite de hoje.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!