Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Batata de Tsangano ainda longe do mercado nacional

A batata Reno do distrito de Tsangano, província de Tete, Centro de Moçambique, continua a ser vendida informalmente no vizinho Malawi devido a falta de condições de escoamento para o mercado interno. Este problema é já antigo e as razões continuam as mesmas.

Com efeito, a estrada entre Tsangano e o resto da província se encontra intransitável no troço Tsangano/Mpula, num percurso de 42 quilómetros.

“O distrito de Tsangano produz batata durante todo o ano, mas há o constrangimento das vias de acesso para escoar a produção para outros pontos da província e por causa deste problema, uma boa parte deste produto é comercializada no vizinho Malawi”, disse o director provincial da Agricultura de Tete, Américo Conceição.

A opção dos agricultores em vender a sua batata no Malawi deve-se ao facto deste país estar muito próximo de Tsangano, distrito localizado no extremo leste da província de Tete.

Mas este negócio não tem grandes rendimentos para os agricultores porque eles são informais e não tem capacidade de negociação dos preços.

Esta preocupação foi apresentada durante a 47ª edição da Feira Internacional de Maputo (FACIM) que termina hoje em Ricatla, distrito de Marracuene, província de Maputo, Sul de Moçambique.

Entretanto, as autoridades locais afirmam que a reabilitação da estrada que dá acesso ao distrito está no centro das prioridades do Governo e consta do Plano Estratégico provincial, mas que ainda carece de financiamento.

Além disso, outro grande desafio da província é encontrar empresários interessados em investir no agro – processamento para permitir que a produção da batata e outros alimentos chegue a outros pontos da província e do país em óptimas condições.

Refira-se que além de Tsangano, outros distritos que produzem batata reno em Tete são Angónia, Macanga e Moatize. Mas Tsangano é um dos poucos distritos que produz batata durante todo o ano. A produção destes distritos é suficiente para abastecer toda a província e contribuir, em grande medida, para a segurança alimentar noutras províncias do país.

O director provincial da Agricultura disse que a produção da batata em Tete explodiu nos últimos três anos, com a implementação do Plano Nacional de Produção de Alimentos. Mas as potencialidades agrícolas da província de Tete não se esgotam na batata.

Na campanha agrícola 2009/2010, a província produziu mais de 1,3 milhão de produtos diversos. Segundo Américo Conceição, grande parte dessa produção é comercializada fora da província e noutros distritos deficitários como são os casos de Cahora Bassa, Changara, Mágoè e Mutarara.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!