Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

China e EUA comprometem-se com relação ‘profunda’

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou esta terça-feira, após receber seu colega chinês, Hu Jintao, que os dois líderes comprometeram-se a construir uma relação bilateral “profunda”. Hu e Obama se reuniram à margem da Assembléia Geral das Nações Unidas, em Nova York, e analisaram o progresso das relações sino-americanas, incluindo temas sensíveis, como as tarifas aplicadas pelos EUA sobre as importações de pneus chineses. “Estou determinado a construir uma relação de cooperação sincera e profunda com a China”, assinalou Obama no encontro em um hotel de Nova York.

“Podemos voltar à nossa relação mais dinâmica e eficaz”, destacou Obama, antes de se declarar “muito impaciente para viajar à China, em Novembro”. Hu destacou que vai trabalhar por uma “relação positiva, profunda e de cooperação para o século XXI”. “Os chineses também estão dispostos a trabalhar com os Estados Unidos para tratar, de maneira adequada, dos assuntos essenciais que permitam garantir que nossa relação siga crescendo de maneira saudável e regular”, disse Hu.

Segundo um funcionário americano, Obama destacou que os Estados Unidos estão “firmementes comprometidos” com o livre comércio, apesar da questão dos pneus chineses. O funcionário disse que Obama tranquilizou Hu sobre a disputa comercial gerada pela decisão de Washington de aplicar novas taxas sobre as importações de pneus chineses, medida que trouxe temor sobre a retomada do protecionismo nos Estados Unidos.

“O presidente destacou que seu país tem conhecimento das divergências sobre o tema, mas explicou que os Estados Unidos permanecem firmes em seu compromisso com o livre comércio e repudiam o protecionismo”.

Obama disse que a taxação sobre os pneus não é uma tentativa de minar as exportações chinesas, e obedece apenas a um caso particular, segundo o funcionário. Washington impôs este mês tarifas de até 35% sobre as importações de pneus chineses, medida que gerou um protesto de Pequim junto à OMC.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!