Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cheias no Zambeze: Governador de Sofala afirma que situação é preocupante mas não é grave

O Governador da Província de Sofala, Maurício Vieira, disse ontem na Beira que a situação de inundações ao longo dos distritos atravessados pelo Rio Zambeze, nomeadamente Caia, Chemba e Marromeu, não é grave mas é preocupante.

Maurício Vieira sobrevoou ontem os três distritos numa missão de monitoria da situação, tendo verificado que algumas zonas ribeirinhas do grande Zambeze estão inundadas. No entanto, transmitiu tranquilidade pelo facto de maior parte das populações terem saído das zonas propensas às inundações fixando-se nas zonas altas. Apenas em Caia foi-lhe reportada a existência de quatro famílias que permanecem em áreas isoladas, facto igualmen- te testemunhado por si durante a operação de sobrevoo.

“As instruções que nós demos foi no sentido de tudo ser feito para que aquelas famílias sejam retiradas o mais urgente possível”. O Governador disse também que algumas populações que observou nas ilhas são aquelas que vão fazer as suas machambas e ao final do dia regressam às suas residências estabelecidas nas zonas altas. “A grande recomendação que nós deixamos durante a monitoria que fizemos em Chemba, Caia e Marromeu foi de que as autoridades devem estar de alerta por forma a acompanhar a evolução da situação” – afirmou Vieira, acrescentando que há informações de novas descargas nos próximos tempos e isso poderá vir a criar uma nova vaga de inundações.

“Isso significa que nós temos que tomar medidas cautelares por forma a que essas descargas a ter que se verificar não venham criar constrangimentos na vida das pessoas”. Questionado pelo nosso jornal sobre a capacidade das instituições internas em dar resposta a situação, o Governador Maurício Vieira disse que a situação está sob controlo ao nível de Sofala e destacou o envolvimento dos quadros locais para minorar os efeitos das inundações que também ocorrem ao longo das bacias hidrográficas do Púnguè e Búzi, afectando os distritos de Nhamatanda, Búzi e Dondo.

Vieira sublinhou que por hora não há necessidade de envolvimento da comunidade internacional. “Portanto, neste momento nada indica que tenhamos que lançar um grito nesse sentido” – enfatizou. O Governador disse ainda que a província recebeu um fundo específico para atender essa situação de inundações, mas referiu-se a importância de solidariedade por parte de toda comunidade de Sofala.

Segundo soubemos do Delegado Provincial do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades em Sofala (INGC), Luís Pacheco, e de um milhão de meticais e destina-se a suportar pequenas despesas de auxilio as famílias que estão a ser deslocadas, incluindo a mobilidade das varias equipas envolvidas no processo de monitoria da situação.

O helicóptero com o que o Governador de Sofala sobrevoou as zonas afectadas foi negociado em Maputo pelo INGC Central e pertence a Air Capital – Moçambique. Refira-se, entretanto, que face à evolução da situação hidrológica no Vale do Zambeze e noutras bacias da zona Centro do País, o Governo decidiu ontem aprovar a proposta do Conselho Coordenador de Gestão de Calamidades de Declaração do Alerta Vermelho Institucional para as bacias do Zambeze, Púnguè, Buzi e Licungo. O Conselho de Ministros esteve reunido ontem em Maputo na sua oitava sessão ordinária.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!