Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Central Brazão Mazula, a biblioteca de todos

Há cidadãos que sofrem falta de coisas que se encontram ao seu dispor, alguns por ignorância e muitos por falta de informação. O nosso país é, à semelhança de outros, conhecido pela carência de bens didácticos e informativos.

A Biblioteca Central Brazão Mazula, munida de indescritível material académico e profissional, com apetrechamento tecnológico dos últimos tempos, é vista como destinada apenas à comunidade estudantil da Universidade Eduardo Mondlane, quando está para servir todos os académicos, profissionais, simples leitores e/ou até ao cidadão comum.

A errada visão de restrição justifica-se pelo facto de a biblioteca em causa encontrar-se no Campus Universitário e pelo facto de resultar da junção do material de várias bibliotecas que serviam as numerosas faculdades da maior instituição do ensino superior em Moçambique.

Muito ao contrário de como o público leitor entende o funcionamento daquela muito desejada biblioteca, pela potência de responder à demanda da procura por parte de académicos e profissionais, está para servir a todo o cidadão com um funcionamento claro e transparente.

Sistema livre de aquisição de obras

Os utentes da Biblioteca Central Brazão Mazula têm facilidades providas pela tecnologia contemporânea para efectuarem as suas consultas e buscas. Está instalado na biblioteca um sistema electrónico de localização das obras solicitadas pelos leitores, sistema em que usa-se o índice de busca. Uma vez digitadas as palavras-chave da obra pretendida, seja o nome do autor ou o título da da obra, o sistema exterioriza o código de localização do livro. O referido código facilita o trabalho do leitor ao se dirigir às estantes, isto é, o leitor guia-se pelo código para o lugar específico onde encontra-se arrumada a obra do seu desejo.

Internet

A Biblioteca central Brazão Mazula está ligada à rede electrónica internacional e uma vez que os computadores não chegam para todos os utentes, esses podem trazer os seus aparelhos e lhes são facultados os códigos de wireless, não secretos, que variam do canto onde cada um quer se sentar para navegar na internet.

Sistema electrónico de segurança

De salientar que a biblioteca protege os seus bens, não só com a equipa de segurança G4S, mas também com um sistema electrónico de alerta instlalado no em todo o espaço bibliotecário. Quando um indivíduo decide extraviar uma obra em livro ou qualquer outro bem da biblioteca o alarme toca antes de o prevaricador atingir a porta de saída.

O indivíduo que decide tomar de furto os bens da biblioteca é submisso a trâmites judiciais, uma vez que o roubo é punível nos termos da lei.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!