Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cegueira é problema de saúde pública

Cerca de 300 mil pessoas, das pouco mais de 6,8 milhões que vivem nas províncias de Cabo Delgado, Niassa e Nampula, norte do país, podem estar a padecer de cegueira evitável, segundo indicam dados preliminares avançados pelo Ministério de Saúde (MISAU).

Refira-se que a cegueira é classificada em função do local onde esta produz danos. Ela pode manifestar-se sob forma de catarata, degeneração macular e nervo óptico.

Pode ser congénita ou adquirida. O dano que impede a visão pode ser contraído no útero materno, na altura do nascimento ou em alguma circunstância da vida do indivíduo.

De acordo com Nazira Valy, viceministra da Saúde, a pesquisa levada a cabo pelo MISAU para avaliar a dimensão do problema ao nível da região, preliminarmente mostrou que perto de 5 por cento da população da região norte sofre desta doença.

Segundo dados do último Censo Geral da População e Habitação, vivem, actualmente, nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula, pouco mais de 6,8 milhões de pessoas.

Falando à margem do lançamento da primeira pedra para a construção de um edifício de raiz, onde irá funcionar o bloco oftalmológico do Hospital Central de Nampula, aquela governante destacou que, a partir de Setembro do próximo, data da provável entrada em funcionamento daquela unidade, os pacientes vítimas da cegueira passarão a ter um tratamento muito mais especializado.

A reportagem do Wamphula Fax apurou no local que a futura enfermaria de oftalmologia será equipada de 28 camas, seis gabinetes de diagnóstico, banco de óculos, unidade de produção de gotas medicinais, entre outras.

Financiada pela Sightsavers, uma organização não governamental para o desenvolvimento vocacionada na promoção, prevenção e cura da cegueira evitável, no quadro de um memorando de entendimento rubricado com o MISAU, a empreitada esta orçada em 43 milhões de meticais.

A iniciativa da construção de um edifício específico é considerada uma mais valia não só para os funcionários, que actualmente trabalham em espaços exíguos, como também em relação aos doentes operados daquela doença, que, por falta de uma enfermaria especificada, são agrupados com outros doentes.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!