Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

CDM pretende reduzir consumo de álcool

A empresa Cervejas de Moçambique (CDM) está a levar a cabo uma intensa campanha centrada em dez prioridades para o desenvolvimento sustentável, que incluem a sensibilização da sociedade para o consumo responsável do álcool, uso racional da água, redução do uso de energia e carbono, observância dos direitos humanos, mitigação e prevenção do HIV-Sida na comunidade e no ambiente do trabalho, entre outros.

A campanha, a ser implementada em todas as unidades fabris afiliadas do grupo SABMiller, sob o tema: «Dez prioridades, um futuro», tem a duração prevista de seis meses. O Director-Geral(DG) da Cervejas de Moçambique, Grant Liversage, disse a-propósito que as dez prioridades de sustentabilidade começam com o consumo responsável de bebidas alcóolicas, pois “queremo- nos certificar que as pessoas desfrutam da nossa linha de produtos de uma forma segura e responsável”.

“Nós pretendemos que o álcool seja consumido em segurança, porque o seu consumo irresponsável tem-se tornado num problema e nós consideramos esta questão como uma das nossas prioridades de desenvolvimento sustentável”, frisou Grant Liversage, acrescentando que a empresa que dirige “está envolvida em vários projectos de negócios, o que constitui uma oportunidade para compartilhar as melhores práticas e aprender uns com os outros e melhorar o desempenho na área de desenvolvimento sustentável”. Outra das grandes prioridades da campanha, de acordo com o DG da CDM, refere-se à produção da cerveja usando menos água possível em reconhecimento do facto de que este líquido precioso está a escassear a nível mundial, particularmente nas comunidades onde a CDM opera.

Liversage explicou ainda que a campanha vai igualmente abordar a redução do uso de energia e carbono no processo produtivo, pois se trata “realmente de uma questão ambiental para garantir que as nossas operações estejam estruturadas de forma a minimizar o impacto sobre o meio ambiente”. Relativamente ao HIV-Sida, Grant Liversage referiu que a empresa pretende beneficiar as comunidades em que está inserida para garantir que elas estejam saudáveis: “em sintonia com este raciocínio temos a redução do impacto do HIV /Sida no nosso ambiente de trabalho e nas comunidades que nos rodeiam, uma vez que reconhecemos que a pandemia do HIV/Sida é importante e que pode ser influenciada por nós”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!