Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Casa cheia para ver Calcanhotto

Casa cheia para ver Calcanhotto

A sala do Centro Cultural Universitário (ex-cinema dos Continuadores) encheu para ver ontem Adriana Calcanhotto, a cantora e compositora brasileira que actuou pela segunda vez em Maputo.

Desta vez Calcanhotto foi coadjuvada por Moreno Veloso – filho do célebre músico Caetano Veloso – e por Domenico, como ultimamente tem sido hábito.

Aliás, os próprios, quando actuam juntos, chamam aos seus espectáculos “Três”. Adriana começou por gracejar dizendo que se sentia maravilhada por voltar a Maputo. “Gosto muito de estar aqui. Vocês vão-me dizer que digo isto em todo o lado.

 

 

Mas é a verdade.” Depois ouviram-se canções antigas, sobejamente conhecidas do público como os enormes sucessos ‘Vambora’, ‘Fico Assim sem você’, ‘Esquadros’ e temas do seu álbum mais recente, ‘Maré’, lançado o ano passado e que é o segundo de uma trilogia, depois de ‘Marítimo’, álbum lançado em 1998.

 

 

Do ‘Maré’ foram escutados temas como ‘Maré’ ou ‘Mulher sem razão’. Calcanhotto, sempre com o seu violão no colo, entusiasmou a multidão – embora o seu tipo de música não seja propriamente para deixar o público ao rubro – sobretudo quando tocou os temas mais antigos ou, por exemplo, de Caetano Veloso.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!