Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Casa cheia para ver Calcanhotto

Casa cheia para ver Calcanhotto

A sala do Centro Cultural Universitário (ex-cinema dos Continuadores) encheu para ver ontem Adriana Calcanhotto, a cantora e compositora brasileira que actuou pela segunda vez em Maputo.

Desta vez Calcanhotto foi coadjuvada por Moreno Veloso – filho do célebre músico Caetano Veloso – e por Domenico, como ultimamente tem sido hábito.

Aliás, os próprios, quando actuam juntos, chamam aos seus espectáculos “Três”. Adriana começou por gracejar dizendo que se sentia maravilhada por voltar a Maputo. “Gosto muito de estar aqui. Vocês vão-me dizer que digo isto em todo o lado.

 

 

Mas é a verdade.” Depois ouviram-se canções antigas, sobejamente conhecidas do público como os enormes sucessos ‘Vambora’, ‘Fico Assim sem você’, ‘Esquadros’ e temas do seu álbum mais recente, ‘Maré’, lançado o ano passado e que é o segundo de uma trilogia, depois de ‘Marítimo’, álbum lançado em 1998.

 

 

Do ‘Maré’ foram escutados temas como ‘Maré’ ou ‘Mulher sem razão’. Calcanhotto, sempre com o seu violão no colo, entusiasmou a multidão – embora o seu tipo de música não seja propriamente para deixar o público ao rubro – sobretudo quando tocou os temas mais antigos ou, por exemplo, de Caetano Veloso.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!