Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Carvão térmico exportado a partir de 2014

Cerca de 10 milhões de toneladas/ano deverão ser exportadas, a partir de 2014, pela companhia Ncondezi Coal Company Mozambique Ltd, vocacionada à pesquisa, prospecção e exploração de recursos carboníferos na província central de Tete.

A empresa acaba de concluir reuniões públicas de consulta junto das comunidades residentes nos arredores da cidade de Tete e vila de Moatize, onde o empreendimento estará localizado a partir do segundo semestre de 2012 e já indicou as empresas moçambicana Impacto e estrangeira Environmental Resources Management Southern Africa para dirigirem um estudo detalhado de avaliação do impacto ambiental e socioeconómico do projecto, apurou esta segunda-feira o Correio da manhã dos gestores daquela companhia mineira, David Eshmade e Isaac Muchenje.

As reuniões, concluídas a 30 de Março último, serviram para os promotores do projecto explicarem às comunidades os benefícios a desfrutarem com o empreendimento e para melhorar a sua compreensão sobre as implicações a serem trazidas pelo desenvolvimento contínuo da mina que pode afectar o ambiente e suas vidas no futuro.

Cerimónias tradicionais

A Ncondezi Coal Companhy Mozamnbique Ltd orçamentou cerca de dois milhões de dólares norte-americamos para despesas em iniciativas de responsabilidade social para o próximo triénio, incidindo sobre o desenvolvimento de infra-estruturas sociais das áreas de Agricultura, Educação e Desportos, Saúde, Água, Formação Técnico- Profissional e Preservação das Tradições e Cultura.

No que tange à preservação das tradições e cultura, os donos do projecto predispõem- se “a financiar cerimónias tradicionais que fazem parte da cultura local”, empregar membros da comunidade local, resolver potenciais situações de conflito com a liderança comunitária, segundo igualmente Eshmade e Muchenje.

O projecto detém licenças de pesquisa e prospecção para mais de 73 160 hectares distribuídos pela bacia do rio Zambeze e deverá concluir um estudo definitivo de viabilidade no segundo semestre de 2012 e passar para a produção inicial no segundo semestre de 2014.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!