Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Carvão de Moatize: O desafio é desenvolver com à comunidade

Carvão de Moatize: O desafio é desenvolver com à comunidade

“Vamos trabalhar juntos pelo futuro destas crianças”, foi com estas palavras que Roger Agnelli, director-presidente da Vale do Rio Doce – referindo-se simbolicamente às crianças do grupo coral dos continuadores – iniciou o seu discurso no lançamento da primeira pedra do projecto de exploração de Carvão de Moatize.

No entanto, perto de 2500 pessoas, 90 porcento das quais nacionais, estão empregadas no quadro do projecto de exploração do carvão mineral de Moatize, na província de Tete, mesmo antes de iniciar a extracção.

 

Questionado sobre os motivos que levaram a escolher o nosso país Roger disse que “Moçambique está localizado no caminho entre o Brasil e a Asia, sendo que estes constituem os principais mercados da Vale. Contudo, a compra sobretudo no Brasil e à Europa que eram os principais exportadores baixou significativamente, mas em contrapartida às importações para à China bateram cresceram.

Orçado em cerca de 1,3 bilião de dólares, o projecto terá capacidade nominal de produção de 11 milhões de toneladas de produtos de carvão (metalúrgico e térmico) por ano.

Considerando que o lançamento da primeira pedra constitui o início de um novo desafio, Agnelli observou que todos devem sentir-se donos do projecto, e, para isso, há que ajustar as expectativas. O sonho é fazer de Moatize um projecto-modelo no mundo, desde a sua sustentabilidade até ao envolvimento das comunidades.

“Num momento de crise, ninguém se atreve a iniciar um projecto de grande envergadura como este. A questão do relacionamento com as comunidades constitui uma prioridade fundamental na nossa estratégia de desenvolvimento”, observou Agnelli.

Dados tornados públicos indicam que até ao momento a Vale já investiu cerca de sete milhões de dólares na prossecução de diversos projectos de desenvolvimento social, que incluem a reabilitação do Hospital Provincial de Tete e do Centro de Saúde de Moatize, a reforma do Instituto Médio de Geologia e Minas de Moatize, projectos de desenvolvimento da agricultura local e um outro de alfabetização de adultos, cuja conclusão está prevista para o primeiro semestre de 2011.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!