Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cadáver em decomposição descoberto devido ao mau cheiro

Corpo de um indivíduo foi descoberto em avançado estado de decomposição na manhã deste domingo, numa pequena machamba coberta de água, no décimo nono bairro, Manga-Mascarenhas, arredores da cidade da Beira.

Testemunhas afirmaram ao nosso jornal que o corpo aparentava ser de um jovem de menos de trinta anos de idade, mas devido o estado avançado de putrefação em que se apresentava não foi possível a sua identificação, muito menos apurar as prováveis circunstâncias do sucedido.

Outras fontes afirmaram ao O Autarca, na altura da descoberta o cadáver não apresentava algumas partes do corpo, deduzindo tenham sido consumidas por cães vadios que predominam na área.

Presume-se que o corpo tenha permanecido naquele local entre três a quatro dias, sem que ninguém desse conta da existência de um cadáver a escassos três metros de uma ruela do bairro bastante movimentada.

Há quem diga o mais provável a ocorrência tenha sido no passado 07 de Abril, dia de agitação, mas devido o mau tempo que se fazia sentir naqueles dias as pessoas atravessavam o local muitas vezes as correrias ou apressadamente para evitar exposição a muita chuva.

Disseram ainda o mais provável a vitima não deve ser residente no bairro, se não teria havido alguém imediatamente a reclamar. Depois da sua descoberta, logo pelas primeiras horas da manhã, o corpo ainda permaneceu exposto no local até cerca das 14:00 horas, depois que foi autorizada a sua remoção directamente para um dos cemitérios municipais da urbe onde foi sepultado.

Durante o processo de remoção os agentes camarários colocaram o corpo num saco plástico e muita gente que assistia a operação teve de ser desacolheda a aproximar-se do local para evitar inalar mau cheiro que o corpo produzia.

Aliás, um membro de policiamento comunitário no bairro disse que a descoberta do corpo foi devido o mau cheiro que aquele estava a provocar na área, o que suscitou a curiosidade de alguns moradores próximos do local.

Refira-se, entretanto, esta é a segunda situação do género que ocorre naquele bairro no espaço inferior a um ano, sendo que a primeira foi em 2010 e envolveu uma jovem que se presume antes da sua morte foi violada sexualmente.

O corpo da referida jovem per-maneceu no local onde foi atirado, também numa machamba alagada, cerca de uma semana, tendo a remoção e sepultura ocorrido nos mesmos moldes a que se referem ao cadáver descoberto neste domingo. A polícia alegou que ainda está a investigar o caso descoberto neste domingo.

Residentes reclamam patrulhamento policial

Entretanto, os residentes no 19° bairro, Manga-Mascarenhas, reclamam maior patrulhamento policial. Esta não é a primeira vez que aqueles residentes apresentam esse tipo de reivindicação sem, no entanto, lhes ser satisfeita a sua preocupação.

Um morador identificado por Ganho José, disse que o bairro constantemente regista casos de crimes violentos, tendo nomeado assassinatos, violação de mulheres, agressões físicas e assaltos a residencias com recurso a armas brancas e de fogo.

“Já denunciamos essa situação várias vezes nos encontros que temos mantido com as autoridades e mesmo através dos órgãos de informação, mas a resposta da Polícia nunca foi satisfatória”.

Manuel Chambiro, outro residente local, disse que num desses encontros alguns populares sugeriram que se estabelecesse um posto policial na zona, porque a esquadra que atende o bairro fica distante, nomeadamente a Brigada Montada.

Disse, por outro lado, assim que se verificou esse caso a polícia vai incrementar o patrulhamento no bairro, mas passados algumas semanas deixará de marcar presença e aí os criminosos voltarão a acção.

“Isso não pode ser assim, a acção de patrulhamento deve ser regular. Também não justifica que a polícia somente faça patrulhamento na zona onde funcionam quiosques. É preciso que entrem para o interior, lá onde geralmente ocorrem esse tipo de crimes violentos” – apelou.

Residentes louvam esforço da EDM Os mesmos moradores que se pronunciaram ao nosso jornal louvaram o esforço que a empresa Electricidade de Moçambique (EDM-EP) tem estado a desenvolver de modo a garantir iluminação pública nos bairros. Disseram que boa parte das ruas do bairro apresentam-se iluminadas o que tem contribuído para retrair as incursões dos criminosos.

No entanto, apelaram a EDM no sentido de continuar a desenvolver esse esforço, abrangendo mais ruas e se possível colocar candeeiros em todos os postos, uma vez que a rede não só atravessa as partes urbanizadas mas também cobre os restantes espaços onde por sinal habita maior número de populares.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!