Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

BM mantém intensidade das intervenções nos mercados interbancários

O Banco de Moçambique (BM) continua atento aos factores de risco prevalecentes no mundo, nomeadamente a recessão económica mundial, a persistência da crise financeira internacional e seu impacto na generalidade das economias, a volatilidade dos preços internacionais das mercadorias e a continuação da crise energética na vizinha África do Sul.

Para fazer face a estas contrariedades, o Comité de Política Monetária do Banco de Moçambique (CPMO) decidiu, na última Quinta-feira, manter a intensidade das intervenções nos mercados interbancários, para a consecução dos objectivos da inflação, da base monetária e das reservas internacionais líquidas.

A decisão foi tomada durante a quarta sessão ordinária do CPMO, referente ao presente ano, que teve lugar a 9 de Abril corrente, onde foi apreciado o Documento de Política Monetária que reporta sobre os desenvolvimentos económico-financeiros ocorridos nos meses de Fevereiro e Março de 2009 e apresenta as perspectivas para o mês de Abril de 2009.

Com efeito, segundo um comunicado do BM, emitido por ocasião da sessão do CPMO, esta instituição bancária realizou intervenções nos mercados interbancários, tendo o saldo da base monetária se situado nos 17.883 milhões de Meticais, cerca de 1,5 por cento acima da meta programada para Março de 2009.

No mercado cambial, o Banco Central disponibilizou divisas no valor de 106,8 milhões de dólares norteamericanos, sendo que a taxa de câmbio média do Metical em relação ao Dólar dos EUA se situou nos 26,67 Meticais no dia 31 de Março de 2009, correspondendo a uma depreciação mensal de 1,7 por cento e anual de 10.3 por cento.

Por sua vez, o saldo provisório das Reservas Internacionais Líquidas foi de 1.610 milhões de dólares norteamericanos, o que, segundo o BM, está em linha com a meta prevista para o primeiro trimestre de 2009. Entretanto, no mês de Março de 2009, de acordo com os dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a variação do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Cidade de Maputo foi de 0,88 por cento, correspondente a uma subida da inflação homóloga em 0,79 pontos percentuais (pp), para 5,15 por cento, e redução da inflação média anual em 0,59 pp para 8,64 por cento.

“Esta variação ficou a dever-se, por um lado, ao aumento dos preços, entre outros, do tomate em 0,79 pontos percentuais, da mandioca fresca em 0,11 pp, da couve também em 0,11 pp, da cerveja em 0,07 pp e do repolho em 0,04 pp, e, por outro, à queda nos preços, nomeadamente do petróleo de iluminação em 0,09 pp, do esparguete em 0,06 pp e da batata-doce em 0,06 pp”, explica o documento.

Este cenário ocorre numa altura em que os indicadores de comércio externo, produção e emprego mostram que a actividade económica global continuou a baixar no primeiro trimestre de 2009, prevendo-se uma contracção na economia mundial da ordem dos 0,8 por cento para o corrente ano, não obstante os pacotes de incentivos anunciados pelas principais economias desenvolvidas, com vista a estabilizar os mercados financeiros e estimular a procura agregada.

Porém, e de acordo com os dados de Fevereiro de 2009, os preços das principais mercadorias com impacto na balança comercial de Moçambique registaram, em geral, uma redução. Assim, segundo os dados apresentados pelo BM, o preço do Brent registou uma queda de 3,6 por cento, tendo atingido a cotação média de 43,20 dólares por barril, e os preços dos cereais baixaram em média 10 por cento, com o milho a reduzir em 5,8 por cento e o trigo em 6,1 por cento.

Por outro lado, o preço do alumínio, principal produto de exportação em Moçambique, reduziu em 5,8 por cento em termos mensais e 52,0 por cento em termos anuais, tendo o preço do gás natural também registado uma queda mensal de 9,7 por cento e anual de 40,9 por cento.

O Banco central adverte ainda o facto de o preço do petróleo continuar volátil, pois, de acordo com dados recentes, preço do Brent aumentou para 46,18 dólares por barril no final de Março de 2009 e atingiu 52,06 dólares no dia 8 de Abril de 2009.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!