Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Basquetebol: Locomotivas revalidam o título na cidade de Maputo

O Ferroviário de Maputo revalidou o título de campeão de basquetebol da cidade de Maputo. A equipa locomotiva da capital, que terminou o certame sem perder nenhum jogo, humilhou no último sábado (06) o Aeroporto, por 117 a 44.

Em 14 jornadas, o favorito Ferroviário de Maputo somou igual número de vitórias, um registo raro olhando para os adversários que teve durante a prova. Na derradeira ronda, aquela colectividade mediu forças com o débil Aeroporto, um conjunto que ocupa a penúltima posição da tabela classificativa.

A diferença em termos de qualidade de jogo entre as duas equipas viu-se logo no primeiro período quando o Ferroviário de Maputo decidiu colocar a sua máquina ofensiva e sufocante a funcionar. Sob a liderança de Luís de Barros, face à ausência de Ermelindo Novela, os campeões saíram a vencer, por 21 a 4, mercê dos treze pontos apontados por Edson Monjane.

No segundo período, os locomotivas da capital do país não baixaram as armas e justificaram, perante um adversário fraquíssimo, a razão de estarem a liderar invictos o Campeonato da Cidade à entrada da última jornada. A turma do Aeroporto foi trucidada e, mesmo assim, conseguiu marcar mais seis pontos do que na etapa inicial, enquanto o seu adversário conseguiu mais quatro. No duelo interno, Orlando Novela apagou o brilho do seu companheiro de equipa, Monjane, ao marcar também treze pontos neste tempo. A primeira parte terminou com o Ferroviário a vencer por 46 a 14.

Sufoco até ao fim

No reatamento, a equipa locomotiva não quis baixar a “guarda” e continuou a sufocar o adversário. O conjunto do Aeroporto, que à entrada desta jornada ocupava a penúltima posição da tabela classificativa, não soube impor o seu talento e, por isso, não conseguiu parar o jogo exterior do Ferroviário de Maputo. Orlando Novela foi a figura de destaque neste terceiro período em que a sua colectividade saiu a vencer pelo parcial de 28 a 10.

Como sempre e com a vitória garantida, os campeões da cidade reservaram a última etapa para rodar a equipa lançando jogadores que actuaram poucos minutos ao longo da partida. O Aeroporto não soube tirar proveito disso e o máximo que conseguiu foi marcar sete pontos contra 37 do rival. O Ferroviário de Maputo venceu por 109 a 31.

Ainda nesta jornada, o Maxaquene, vice-campeão nacional, conquistou a segunda posição do Campeonato da Cidade ao derrotar o Núcleo da Bela Rosa, por 92 a 53, e beneficiou do deslize do Desportivo de Maputo que perdeu diante do Costa do Sol, por 43 a 67. No que aos números finais diz respeito, o Ferroviário de Maputo somou um total de 28 pontos, mais dois do que o Maxaquene, enquanto o Desportivo de Maputo figura na terceira posição, com 24.

“Este prémio é dos meus jogadores”

Falando minutos após a revalidação do título da cidade, o treinador adjunto do Ferroviário de Maputo, Gerson Novela, enalteceu a brilhante época feita pelos seus jogadores e voltou a lamentar o adiamento do Campeonato Nacional de Basquetebol. “Vencemos todas as competições que tivemos pela frente, nomeadamente o Torneio de Abertura, a Taça Maputo e agora o Campeonato da Cidade. Estávamos à espera do Campeonato Nacional para mostrarmos ao país o nosso real valor”, disse.

Edson Monjane, atleta dos campeões da cidade, revelou que a conquista do título só foi possível com muito trabalho e humildade, apesar de o Ferroviário de Maputo ter um plantel jovem e praticamente inexperiente.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!