Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
Publicidade

Banco Mundial concede empréstimo para mitigação das mudanças climáticas

O Governo moçambicano e o Banco Mundial assinaram esta sexta-feira, em Maputo, um acordo que formaliza a concessão de um crédito de 120 milhões de dólares para a implementação de um programa destinado a mitigar os efeitos das mudanças climáticas no país.

Designado ‘Cidades e Mudanças Climáticas’, este projecto visa apoiar o fortalecimento da capacidade de 20 municípios abrangidos nesta fase na concepção de infra-estruturas urbanas sustentáveis e a gestão ambiental que aumente a resistência aos riscos relacionados com as mudanças climáticas no país.

Falando após a assinatura do acordo, o Ministro da Planificação e Desenvolvimento, Aiuba Cuereneia, disse que o projecto apoiará o país, particularmente os ministérios das Obras Públicas e Habitação e da Administração Estatal, no desenvolvimento de instituições apropriadas, e melhorias de infra-estruturas para fortalecer a resistência das cidades seleccionadas para os impactos relacionados com o clima.

“Este projecto vai ajudar os municípios seleccionados a resolver os problemas crónicos na construção de esgotos, canalizações, aterros, barragens e até instalações de superfície de armazenamento de água”, disse Cuereneia, que assinou o acordo em representação do Governo.

Por seu turno, o Director do Banco Mundial para Moçambique, Angola e São Tomé e Príncipe, Laurence Clarke, referiu-se ao facto de Moçambique ser um dos países mais afectados pelos efeitos das mudanças climáticas, ocupando a terceira posição entre os estados africanos mais expostos aos impactos relativos a variabilidade climática.

“Temos hoje bastante evidências que demonstram o impacto negativo das mudanças climáticas nos esforços de desenvolvimento do país”, disse Clarke, acrescentando que “estima-se que os desastres naturais afectam o crescimento económico em cerca de 1 a 2 por cento anualmente, o que corresponde a dezenas de milhões de dólares por ano”.

Por outro lado, Clarke disse que as cidades costeiras do país estão particularmente vulneráveis a inundações e erosão, com impacto devastador sobre as famílias mais pobres, cuja maioria vive nas áreas mais expostas.

O acordo assinado segue a aprovação deste financiamento, em Abril último, pelo Conselho de Direcção do Banco Mundial e constitui o mais importante passo administrativo e legal para o início dos desembolsos dos fundos. Este financiamento cobre a implementação do projecto ‘Cidades e Mudanças Climáticas’ nos 20 municípios seleccionados (perto de metade do universo de 43 existentes em todo o país) durante seis anos.

 

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!