Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Banco central confirma revisão em baixa de crescimento económico

O Banco de Moçambique (BM) confirmou projecções avançadas, semana passada, pelo Standard Bank, segundo as quais a economia moçambicana vai crescer 7% (abaixo do inicialmente – 8%), e de que a inflação será maior que em 2012, devido aos efeitos das cheias.

O porta-voz do BM, Waldemar de Sousa, disse esta segunda-feira aos jornalistas que as cheias, que oficialmente causaram 117 mortos e mais de 250 mil deslocados, “vão provocar uma revisão nas projecções em alguns indicadores macroeconómicos”.

De acordo com Waldemar de Sousa, a economia moçambicana “vai crescer sete por cento, abaixo das previsões apresentadas pelo Governo no Plano Económico e Social – 2013, que eram de oito por cento”.

A entidade considera também que, este ano, a inflação vai ser maior que a do ano transacto, que, em Maputo, foi de dois por cento, mas “ainda assim será na ordem de um dígito”, sublinhou Waldemar de Sousa, num tom de quem está aliviado com a proeza.

De acordo com o também administrador do Banco de Moçambique, Moçambique registou um fluxo de Investimento Directo Estrangeiro (IDE) de 5,2 mil milhões de dólares este ano, “que constitui o novo recorde desde 2011”.

Segundo Waldemar de Sousa, cerca de 80 por cento do IDE são destinados aos grandes projectos, o que representa “uma dinâmica dos investimentos” na área dos recursos minerais. No ano passado, as exportações moçambicanas, sobretudo o carvão e o alumínio, atingiram 11,3 por cento do PIB, enquanto as importações registaram 15 por cento.

Sector privado agrava dívida

Num outro desenvolvimento, aquele responsável referiu que o saldo do endividamento do sector privado junto à banca comercial nacional foi de 119.727,8 milhões de meticais, no final de Fevereiro de 2013, correspondente a um incremento em 3% nos primeiros dois meses do ano e 20% em relação a igual período do ano transacto.

A variação deste agregado nos meses de Janeiro e Fevereiro de 2012 foi determinada pelo incremento da componente em moeda nacional em 3517,5 milhões de meticais, uma vez que o crédito titulado em moeda estrangeira reduziu em cerca de 50,7 milhões de meticais.

Em termos anuais, o endividamento privado junto à banca comercial aumentou em 19.914,7 milhões de meticais e em moeda estrangeira em 6717,9 milhões de meticais, conforme acrescentou o informante.

Taxas de juro De Dezembro de 2012 a Fevereiro de 2013, as taxas de juro médias nominais praticadas pelas instituições de crédito nas suas operações activas, para maturidade de um ano, reduziram em 1,72% para 19,66%, correspondendo a uma queda de 3,95%, quando comparada com a praticada em Fevereiro de 2012.

Por seu turno, a taxa de juro média das operações passivas situou-se em 9,53%, equivalente a uma redução de 1% em relação à mesma praticada em Dezembro de 2012 e 3,84% comparativamente ao valor do período homólogo do ano anterior, de acordo com dados do Banco de Moçambique, divulgados naquele encontro destinado à apresentação da conjuntura económica e perspectivas de inflação do país para 2013.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!