Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

BAD financia reabilitação da barragem de Massingir

O Conselho de Directores do Fundo Africano de Desenvolvimento (ADF), um dos braços do Grupo do Banco Africano para o Desenvolvimento (BAD), aprovou um empréstimo de 20,6 milhões de dólares americanos para financiar a reabilitação da barragem de Massingir, localizada na província de Gaza, Sul de Moçambique.

A barragem de Massingir rompeu em Maio de 2008, apenas um ano após a sua reabilitação que custou um investimento de 60 milhões de dólares norteamericanos desembolsado pelo BAD. O objectivo deste empreendimento era de garantir a irrigação dos cerca de 90 mil hectares de terra ao longo do vale do Limpopo. Igualmente, a barragem iria servir para produzir 35 megawatts de energia eléctrica.

Segundo um comunicado de imprensa do BAD, citado pelo “Reliefweb”,  o Projecto de Reabilitação de Emergência da Barragem de Massingir tem em vista assegurar a sustentabilidade do empreendimento, através da prevenção do seu total colapso em casos de fortes inundações. “Igualmente, o projecto ira melhorar a produção de alimentos e os padrões de vida do grupo alvo através do melhoramento sustentável do funcionamento operacional da barragem”, lê-se no comunicado de imprensa, acrescentando que, “por sua vez, essa medida irá facilitar a capacidade dos agricultores de produzir grandes culturas a jusante em Chókwè e Xai-Xai, assegurando a segurança alimentar”.

O projecto, a ser implementado durante dois anos (2009/2011), compreende o financiamento da reabilitação das condutas e a gestão que inclui os serviços de consultoria para a supervisão dos trabalhos de engenharia. Ligado ao segundo pilar do Papel Estratégico do BAD no país, o projecto está inserido na segunda fase da Plano de Acção para a Redução de Pobreza Absoluta (PARPA II), que tem enfoque para o desenvolvimento económico, governação e desenvolvimento do capital humano.

O projecto está também em harmonia com a Estratégia do Banco a Médio Prazo que apoia o desenvolvimento de infra-estruturas económicas nos países membros do banco ao nível da região. Entre várias componentes, o projecto prevê o crescimento gradual da sua capacidade operacional dos 1,600 metros cúbicos para a plena capacidade de 2,884 metros cúbicos até 2011, medida que irá aumentar as machambas irrigadas de 0,3 para 1-2 hectares.

Outro objectivo tem a ver com o aumento das áreas activamente irrigadas a jusante de 19 mil a 29 mil hectares e a produção, bem como melhorar as práticas agrícolas. O projecto prevê o aumento dos rendimentos das famílias em cerca de 200 por cento até 2014, uma vez que nesta altura os agricultores estarão a produzir as suas culturas durante todo o ano.

“Os beneficiários directos deste projectos incluem os 16 mil agricultores que se encontram a jusante dos distritos de Chókwè e Xai-Xai, além das pessoas residentes na vila de Massingir que irão beneficiar da água da barragem, os 550 pescadores operando neste empreendimento, bem como o sistema de irrigação da Procana (uma empresa de produção de biocombustíveis através da cana-de-açúcar localizada em Massingir)”, refere a fonte.

Este financiamento do BAD corresponde a 62 por cento do valor total do projecto, devendo o Governo moçambicano comparticipar com a outra parte.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!