Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Banco Mundial financia saúde e comunicações

O Governo moçambicano e o Banco Mundial assinaram em Maputo dois acordos que formalizam a concessão, ao país de um total de 75,6 milhões de dólares norte-americanos destinados a financiar dois projectos, sendo um do sector da saúde e o outro ligado a infraestruturas de comunicação.

Os acordos foram rubricados pelo Ministro da Planificação e Desenvolvimento, Aiuba Cuereneia, em representação do Governo moçambicano, e pelo Representante Interino do Banco Mundial no país, Luiz Tavares. Do valor total deste financiamento, aprovado recentemente pelo Conselho dos Directores Executivos do Banco Mundial em Washington, 44,6 milhões destinam-se a apoiar o sector da saúde, enquanto que a outra parte (de 31 milhões de dólares) irá servir para financiar o desenvolvimento de infra-estruturas e serviços de comunicações.

“O projecto para a área da saúde irá financiar a construção de cerca de 25 centros de saúde nas três províncias do Norte do país e vai apoiar as actividades de comunicação em prol da saúde, tais como campanhas de educação nutricional e higiene básica, assim como apoiará programas prioritários de controlo de doenças como a tuberculose, malária e o HIV/ SIDA”, disse Tavares, falando momentos após a assinatura do acordo.

Segundo ele, parte do financiamento será igualmente usado na formação dos trabalhadores de saúde, incluindo enfermeiros, bem como na assistência ao Ministério da Saúde para a preparação do plano de investimento deste sector para os próximos 10 anos. “Este projecto contribuirá para que o país acelere o passo no alcance dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio para a saúde – números quatro e cinco- os dois principais objectivos relacionados com a redução da mortalidade materno infantil e o combate à malária, HIV/SIDA, e outras doenças”, referiu a fonte.

O segundo acordo visa apoiar o Governo no processo de licenciamento da terceira operadora de telefonia móvel no país, cuja abertura do mercado foi anunciada esta semana pelo Governo, aquisição de serviços de Internet para as universidades e outras instituições governamentais, expansão da plataforma de Governo Electrónico, entre outros.

Por seu turno, Aiuba Cuereneia esclareceu que o projecto de provisão de serviços de saúde, destinado a aumentar qualitativa e quantitativamente o acesso aos cuidados de saúde nas zonas recônditas das províncias de Nampula, Niassa e Cabo Delgado, irá decorrer durante seis anos, de 2009 a 2014. “Neste período, e no âmbito deste projecto, o Governo de Moçambique vai investir 72,4 milhões de dólares, dos quais: 44,6 financiados pelo Banco Mundial, 15,6 milhões do Governo do Canadá, 4,3 milhões da Suiça e 7,9 milhões da Rússia”, disse o governante moçambicano.

Por outro lado, Cuereneia disse que o projecto sobre infra-estruturas de comunicação, orçado em 31 milhões de dólares, será implementado pelos Ministérios da Ciência e Tecnologia e o dos Transportes e Comunicações, tendo uma duração de cinco anos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!