Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Bacia do Zambeze: prossegue resgate nas zonas de risco

As autoridades resgataram, durante os últimos dias, cerca de 600 pessoas que corriam risco de vida na bacia do Zambeze, centro de Moçambique.

A operação foi dada como concluída no distrito de Marromeu, província de Sofala, devendo prosseguir nos próximos dias em Mopeia, província da Zambézia, na região centro do país.

O Director-Geral do Instituto Nacional de Gestão das Calamidades (INGC), João Ribeiro, citado pelo jornal Noticias, revelou que 145 pessoas foram evacuadas de Chueza para o bairro Samora Machel, na vila de Marromeu (Sofala), enquanto a Unidade Nacional de Protecção Civil (UNAPROC) resgatou 31 pessoas no povoado Catember e que foram conduzidas para a zona de reassentamento Zona Verde, em Mopeia (Zambézia), durante as últimas 24 horas.

Actualmente, a atenção está concentrada na acomodação dos resgatados, tendo arrancado na última sexta-feira, em Marromeu, a montagem de 30 tendas, a criação de condições de saneamento básico e a limpeza do canal de acesso à navegação para o posto administrativo de Malingapansi.

Por seu turno, o Governador de Sofala, Carvalho Muária, disse que as inundações que fustigam particularmente a sua área de jurisdição já destruíram 367 hectares de diversas culturas alimentares na bacia do Save, em Machanga, e cinco no vale do Púnguè, em Nhamatanda.

Muária revelou, igualmente, que as cheias do rio Zambeze arrasaram 728 hectares em Chemba, 1544 em Caia e 32 em Marromeu. Sobre o resgate de Marromeu, o governante explicou que a evacuação das 145 pessoas, deve-se à destruição do dique de protecção daquela vila autárquica, o que fez com que a água atingisse as zonas residenciais.

Precisou ainda que a presente época chuvosa está a dificultar a circulação rodoviária entre Marínguè/Canxixe/Chemba, Marínguè/Chauaua, Gorongosa/Piro e Nhamatanda/Metuchira (a ponte sobre o rio Metuchira está submersa). Com a redução das descargas da Barragem de Cahora Bassa, em Tete, desde a passada quarta-feira, a situação das cheias no baixo Zambeze pode vir a melhorar.

No conjunto dos distritos do baixo Zambeze, Mopeia, na província da Zambézia foi a mais afectada pelas cheias, comparativamente às restantes zonas ribeirinhas, nomeadamente: Tambara, Chemba, Caia, Marromeu, Mutarara, Morrumbala e Chinde.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!