Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Atentado contra ex-ministro colombiano deixa 2 mortos em Bogotá

Uma bomba destruiu, Terça-feira, o carro dum ex-ministro colombiano num raro atentado na capital, Bogotá, matando o motorista e um policial da escolta.

Fernando Londoño, ex-ministro do Interior, ficou ferido e foi internado, mas está fora de perigo, segundo a imprensa local.

A TV mostrou o político a andar logo depois do ataque, com o rosto ensanguentado, na companhia dum guarda-costas. Ninguém assumiu a autoria do atentado.

A Colômbia convive há décadas com guerrilhas de esquerda, grupos paramilitares de direita e cartéis de narcotraficantes.

A violência diminuiu sensivelmente nos últimos tempos, graças a acções militares contra os guerrilheiros e negociações com os paramilitares.

O presidente Juan Manuel Santos condenou o atentado, dizendo que “este governo não será afastado do rumo por esses ataques terroristas”, e prometendo “todas as investigações necessárias para encontrar os culpados”.

Santos não apontou suspeitos. O policial morto no ataque era parte da escolta geralmente oferecida pelo governo colombiano a personalidades políticas.

Londoño foi ministro do Interior de 2002 a 2004, no governo do presidente conservador Álvaro Uribe, responsável por impor duras derrotas militares às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Londoño hoje trabalha como jornalista, apresentando um programa de rádio e escrevendo artigos nos jornais locais.

Uma fonte policial disse à Reuters que duas pessoas de moto grudaram uma bomba no carro de Londoño logo antes da explosão, ocorrida num bairro comercial da capital.

Mais de 20 pessoas ficaram feridas pelo atentado. A guerrilha Farc continua a ser uma força considerável no país, embora esteja enfraquecida e as suas acções estejam mais concentradas nas áreas rurais.

Os ataques em Bogotá têm sido raros nos últimos anos. O último atentado atribuído às Farc na capital foi em Agosto de 2010, logo depois da posse de Santos. Houve várias explosões pequenas desde então, sem que ninguém assumisse a autoria.

O atentado contribuiu para uma desvalorização de 1,01 por cento do peso colombiano frente ao dólar, Terça-feira, num movimento puxado principalmente por temores de que a Grécia deixe a zona do euro, segundo os operadores de câmbio.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!