Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Até 2013 : Benga terá central termoeléctrica

A mineradora australiana Riversdale, que detém a concessão de exploração de carvão de Benga, em Tete, na zona centro de Moçambique terá uma central termoeléctrica para a produção de 500 megawatts de energia eléctrica numa primeira fase.

Segundo o director nacional de estudos e planificação no Ministério moçambicano da Energia, Nazário Meguigy, a operação comercial desta central tem o seu início previsto para 2013. A central electrotérmica de car~vao de Benga é um investimento do Consórcio Riversdale/Elgas, cujo valor não foi revelado. No âmbito deste projecto, decorrem, neste momento negociações entre o Ministério da Energia e o consórcio em referência sobre o Aocrdo de Princípios. Segundo Meguigy, o acordo deverá regular as relações no período que antecede a adjudicação do contrato de concessão.

 De sublinhar que, em Maio último, a Riversdale manifestou o interesse de construir a sua própria central térmica para processar o seu carvão de queima. Porém, a Ministra dos Recursos Minerais, Esperança Bias, disse que tal medida podia não ser economicamente viável. Na ocasião, Bias defendeu que o ideal seria as empresas mineiras trabalharem em parceria e todas elas venderem o seu carvão de queima a uma única central térmica. Esta proposta surge do facto de a Vale, empresa brasileira, que detêm o título de exploração de uma mina de carvão mineral em Moatize, província de Tete, Centro de Moçambique, ter um projecto similar, que poderá produzir até 1.800 megawatts de energia eléctrica a partir de 2012. A utilização do carvão mineral para a produção da energia eléctrica tende a crescer no mundo, por ser considerado um insumo ainda menos explorado e mais acessível.

Estima-se que cerca de 40 por cento da energia produzida no mundo depende do carvão mineral. Na Africa do Sul, por exemplo, a produção de energia eléctrica é 93 por cento dependente deste produto. De salientar que a Riversdale terminou recentemente o estudo de viabilidade para exploração da mina de carvão de Benga, onde se espera extrair 5.3 milhões de toneladas desse produto por ano, numa primeira etapa (2009-2014).

O mesmo estudo avança que a exploração vai ocorrer em três etapas alinhadas a conclusão e posterior expansão das infra-estruturas ferroviárias e portuárias de transporte fluvial em barcaças. A mina de Benga possui reservas de carvão estimadas em 273.3 milhões de toneladas, compostas por 181.3 milhões em reservas comprovadas e 92 milhões em reservas prováveis. Assim, o total dos recursos de carvão é quatro biliões de toneladas dos quais 319.9 milhões de toneladas em recursos medidos, 720 milhões em recursos indicados e 2,9 biliões em recursos inferidos.

A Riversdale detém um título de concessão da Mina de Carvão de Benga válido por 25 anos, e, ao longo deste período, prevê criar 1.500 empregos directos permanentes, além de outros 4.500 postos de trabalho de forma indirecta, produzindo um grande impacto na economia local.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!