Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo quer aumentar cobertura de electricidade até 2013

O Ministério moçambicano da Energia quer aumentar a taxa de acesso à energia eléctrica para 23 por cento até 2013, em Moçambique. Esta proposta de meta foi avançada esta segunda-feira, pelo director nacional de planificação no Ministério de Energia, Nazario Meguigy, durante a sessão de reflexão sobre as perspectivas para o quinquénio 2010-2014.

 

A sessão decorreu no âmbito do V Conselho Coordenador daquele Ministério, que decorre no posto administrativo de Chidenguele, distrito de Mandlakazi, província de Gaza, no sul do país. Para o efeito, o Ministério de Energia pretende aumentar o número de ligações, dos actuais cerca de 80 mil para 90 mil novos consumidores por ano, perfazendo no fim do quinquénio, 450 mil. Intervindo depois da apresentação das propostas de meta, o ministro a energia, Salvador Namburete, defendeu que a meta dos 23 por cento é muito baixa, dada a demanda deste recurso ao nível nacional.

“O ideal seria fazer muito mais, porque há uma grande necessidade. Hoje, todos querem energia, a situação mudou, porque as pessoas esperavam a energia chegar nas suas zonas e agora exigem este recurso. A energia deve chegar porque é concebida como um bem básico”, explicou Namburete, enfatizando que “teremos que andar muito mais depressa”. Neste momento, a taxa de cobertura da energia eléctrica em Moçambique é de 14 por cento, contra os sete de 2004.

Moçambique é um dos países de África com a maior taxa de cobertura da rede eléctrica, pois a taxa média de cobertura de electricidade na região da Africa Austral e no continente é de cerca de oito por cento. Portanto, mesmo que até 2013 a taxa de cobertura cresça apenas para 23 por cento, o que o Governo considera pouco, Moçambique estará bem.

De salientar que quando iniciar a elaboração do Plano para os próximos cinco anos, o Ministério da Energia vai apresentar esta proposta, que ainda está a ser alvo de análise profunda naquela instituição.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!