Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

AT inaugura laboratório de línguas na Matola

A Autoridade Tributária de Moçambique (AT) inaugurou, Terça-feira, na cidade da Matola, província meridional de Maputo, o primeiro laboratório de línguas e que conta com o apoio financeiro da União Europeia (UE), através de um projecto orçado em 137 mil dólares norte-americanos.

Falando durante a cerimónia, o presidente da AT, Rosário Fernandes, revelou que outros dois laboratórios estão a ser instalados na cidade da Beira e Nacala, nas províncias de Sofala e Nampula, respectivamente, cuja inauguração está agendada para o presente trimestre.

Participaram no evento a governadora da província de Maputo, Maria Jonas, a representante da União Europeia, Myriam Sekkat, entre outros representantes dos parceiros de cooperação e quadros dirigentes da AT.

Através desta iniciativa que, segundo Fernandes está a ser executada pela Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), serão instalados no total seis laboratórios do género em todo o território nacional até finais de 2011.

“Através destas seis unidades esperase que sejam formados mais de 2.000 funcionários em matérias ligadas a cobrança de impostos, em língua inglesa e francesa na cobrança de receitas fiscais e aduaneiras, por via da pauta aduaneira, franquias, Número Único de Identificação Tributária (NUIT), Janela Única Electrónica, entre outro tipo de contribuições fiscais”, disse Fernandes.

Para que esta iniciativa ganhe corpo já foram formados seis formadores que deverão replicar os conhecimentos adquiridos junto de seus colegas nas diferentes partes do território nacional abrangidas pela iniciativa.

Segundo Fernandes, a AT aposta na modernidade pelo que a instalação destes laboratórios multimédia, tomando a língua inglesa como vector principal de comunicação, vai contribuir para o sucesso das reformas em curso, simplificação e facilitação de procedimentos.

Na região da África Austral, apenas Moçambique e Angola são falantes da língua portuguesa num conjunto de 15 países, razão pela qual os laboratórios de Inglês e Francês estão devidamente equipados para responder a diversidade linguística imposta pela integração regional e pela globalização.

Na ocasião, Myriam Sekkat, representante da UE, disse que os laboratórios vão permitir a facilitação do comércio e para a melhoria do ambiente de negócios através da formação de funcionários não só da AT, bem como de outras instituições como sãos os casos do Instituto de Promoção de Investimentos (IPEX) e o Instituto Nacional de Normalização e Qualidade (INNOQ).

“Moçambique é um país que está cercado de países anglófonos, por isso, esperamos desta forma contribuir para a integração e facilitação do comércio regional”, destacou.

Por seu turno, a governadora da província de Maputo disse que a iniciativa vai ajudar o país a enfrentar os desequilíbrios regionais e a pobreza, ajudando o governo na execução de suas tarefas e os municípios na captação de receitas para o desenvolvimento sustentável.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!