Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Assalto acaba em prisão na Matola

Seis indivíduos que integravam duas quadrilhas de ladrões encontram-se detidos, desde terça-feira (11), sob a acusação de assaltos a residências e tortura dos proprietários das mesmas, bem como por assalto a um estaleiro onde tentaram apoderar-se de um cofre com dinheiro, no município da Matola.

Segundo a Polícia, os presumíveis meliantes estão limitados às paredes das celas da 5ª e 6ª esquadras daquela urbe. Um dos grupos, composto por duas pessoas, invadiu determinadas casas no bairro Nkobe, há dias, e apoderou-se de vários bens.

Nkobe é um dos bairros do município da Matola onde a criminalidade tem estado a atingir proporções alarmantes, o que tem deixado os moradores com os nervos à flor da pele.

A situação a que as vítimas têm sido sujeitas é descrita como aterradora, na medida em que os bandidos não só roubam, como também torturam, violam sexualmente e, na pior das hipóteses, matam.

A Policia da República de Moçambique (PRM) naquele município está a par do problema e diz que, vezes sem conta, os malfeitores recorrem a armas brancas para forçar as vítimas e entregarem os seus pertences, sobretudo dinheiro.

Uma outra quadrilha, composta por quatros membros, criou conexões com o guarda de um estaleiro pertencente a cidadãos de nacionalidade chinesa e ensaiou apoderar-se de um cofre com dinheiro.

A localização do cofre foi indicada pelo referido guarda, sem no entanto ter sido forçado porque, supostamente, recebeu a promessa de ganhar uma recompensa monetária.

Os donos das instalações visadas aperceberam-se do rombo que lhes estava a ser causado e pediram a intervenção dos agentes da Lei e Ordem, que além de deter a “gang”, confiscou uma pistola falsa, uma catana e um fio eléctrico.

Entre 01 e 07 de Outubro em curso, o Comando-Geral da PRM registou 97 crimes e, em conexão com os mesmos, recolheu 177 indivíduos aos calabouços. Destes cidadãos, 108 protagonizaram delitos contra propriedade.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!