Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Antiga base da FRELIMO está a ser reconstruida

Ntchinga, uma pequena aldeia do distrito de Muidumbe, a norte da província de Cabo-Delgado está a beneficiar de empreendimentos de vulto, naquilo que o governo da Frelimo descreve de “reconstituição” da sua antiga base central.

O Ministro da Educação e Cultura, Aires Bonifácio Ali, que, esta semana, trabalhou em Cabo-Delgado, considerou Ntchinga lugar sagrado, onde a Frente de Libertação de Moçambique organizava as operações militares. Em declarações à imprensa, no aeroporto de Nampula, Aires Ali disse ter ficado impressionado com os trabalhos que estão a ser desenvolvidos, quer no distrito de Muidumbe, bem como nos restantes distritos daquela província nortenha.

Na vizinha província de Nampula, o titular da pasta da Educação e Cultura mostrou-se igualmente, satisfeito com o ritmo das obras da Escola Secundária de Namialo e do Centro de Recursos para Educação Inclusiva de Anchilo, distritos de Meconta e Nampula, respectivamente.

O Centro de Recursos para Educação Inclusiva de Anchilo faz parte de um conjunto de dois em construção nas províncias de Inhambane e Tete, com fundos do Estado e apoio de parceiros de cooperação. Os referidos centros visam assegurar que todos os moçambicanos, mesmo aqueles que tenham problemas visuais e auditivos, tenham acesso à educação.

Referiu a nossa fonte, acrescentando que o Ministério da Educação e Cultura está investir neste quinquénio cerca de 120 milhões de dólares americanos na formação de quadros e na construção de diversas infra-estruturas. O programa, que contempla a expansão da rede e o aumento dos efectivos escolares, enquadra-se, de acordo com Aires Ali, na criação de condições para uma educação abrangente e de boa qualidade.

E revelou que uma das grandes apostas do sector tem a ver com a formação de professores, sobretudo para o ensino secundário e superior, por forma a ultrapassar a carência de docentes. Já conseguimos estancar a entrada no sistema de ensino de professores sem formação psico-pedagógica, que era o nosso grande problema. Anualmente, admitimos cerca de 10 mil professores.Disse o Ministro da Educação e Cultura.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!