Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ano lectivo 2010 abre com 1.200 novas salas de aula

O ano lectivo 2010 em Moçambique arranca quarta-feira com mais de 1.200 novas salas de aula em todo o país. De acordo com o portavoz do Ministério da Educação, Eurico Banze, a maior parte das novas salas de aula que vão funcionar este ano são para o ensino básico. “Deste número, 1.137 salas de aula são para o ensino básico primário e o remanescente para o ensino secundário”, disse Banze contactado pela AIM.

Banze revelou que este ano irão funcionar 425 novas escolas de ensino primário do 1º grau (1/a a 5/a classes), 407 do segundo grau (6/a e 7/a classes) e três para o ensino técnico profissional, sendo que duas para o nível básico e uma para o médio. No que refere ao ensino secundário geral, Banze afirmou que existem 45 restabelecimentos do primeiro ciclo, ou seja, da oitava a décima classes, e 22 do segundo ciclo (11/a e 12/a classes).

O Ministério da Educação está a levar a cabo, desde 2005, o Programa de Construção Acelerada de Infra-estruturas Escolares, que tem como objectivo garantir o acesso à educação básica a todas as crianças em idade escolar até ao ano de 2015, no âmbito dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM). Com o aumento do número de salas de aula no país, pretende-se reduzir o número de crianças em idade escolar sem acesso à escolarização. Este ano, prevê-se que mais de 200 mil crianças não tenham acesso à escola devido a falta de vagas, infra-estruturas escolares, para além da falta de professores.

No âmbito do Programa de Construção Acelerada de Infra-estruturas Escolares, até finais de 2008 tinham sido construídas, em todo o país, 2.900 salas de aula, casas de professores e infra-estruturas complementares. Este número é exíguo se se tiver em conta que o Programa prevê a construção de um total de 45 mil salas de aula até 2015.

No inicio, o Ministério da Educação previa a construção de seis mil salas de aula por ano, um número que veio a reduzir para 1.400 anualmente devido a dificuldade de disponibilidade de material e falta de recursos humanos. O projecto prevê a construção de salas de aula com a utilização de tecnologia e materiais alternativos, bem como a custos controlados.

Para o efeito, o Ministério da Educação conta com o envolvimento de empreiteiros locais, organizações não governamentais, comunidades e outras forças da sociedade, que são responsáveis pela planificação e execução das obras. As cerimônias centrais de abertura do ano lectivo terão lugar no distrito de Gilé, na província central da Zambézia.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!