Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ananás de Muxungue pronto para exportação

O ananás produzido na região de Panja, posto administrativo de Muxúnguè, distrito de Chibabava, na província central de Sofala, já pode ser exportado para o mercado europeu, mercê da atribuição do certificado internacional para o efeito.

A Bio Control Steue (BCS), da Alemanha, foi a entidade que, semana passada, certificou as primeiras quatro das agremiações produtoras de ananás denominadas por Associações de Camponeses Orgânicos de Muxúnguè.

Segundo o jornal “Diário de Moçambique”, com a atribuição dos referidos diplomas, o ananás de Muxúnguè já está em condições de poder ser exportado para o mercado europeu.

O Vice-ministro da Indústria e Comércio, Keneth Marizane, disse que numa primeira fase serão exportadas, ainda este ano, 700 toneladas de ananás para Holanda e Dinamarca, através de quatro associações de camponeses de Muxúnguè.

Marizane disse tratar-se de um projecto- piloto que poderá no futuro abarcar outras zonas do país, desde que estas reúnam as condições exigidas no mercado europeu, entre as quais a necessidade de o produto ser 100 por cento natural e orgânico.

Sobre que passos foram dados até à certificação do ananás de Muxúnguè, o vice-ministro da Indústria e Comércio afirmou tratar-se de tantos, entre os quais os relacionados com a escolha dos campos para a produção e treinamento dos produtores em técnicas naturais e orgânicas internacionalmente aceites.

“Foi um trabalho que durou aproximadamente três anos até chegar-se à fase de certificação internacional. A fase piloto começou na região de Panja, um local potencial na produção de ananás”, explicou a fonte, acrescentando que durante a fase de preparação dos camponeses foi instalada uma equipa de controlo que tinha a tarefa de certificar a qualidade do ananás localmente.

A exportação vai em princípio começar este ano com envio à Europa (nomeadamente Holanda e Dinamarca) dos primeiros oito contentores, contendo cerca de 700 toneladas.

Em Moçambique, o ananás de Panja, segundo Marizane, será usado na fábrica de processamento deste produto denominada First Natural Choice-Moçambique, localizada em Inhambane, na produção de sumo orgânico.

Em relação a prevista fábrica de processamento de ananás de Muxúnguè, Marizane não avançou muitos dados, referindo apenas que o Governo tem na manga um projecto nesse sentido.

“Dentro dos nossos projectos, temos em carteira a montagem de uma linha de processamento de ananás. Já existem investidores interessados em instalar uma fábrica em Muxúnguè”, indicou.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!