Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Alfândegas premeiam empresas de qualidade

Pela passagem, quarta-feira, 26 de Janeiro, do Dia Mundial das Alfândegas, as Alfândegas de Moçambique distinguiram no mesmo dia, numa cerimónia realizada na Cidade da Beira, quatro empresas de qualidade, nomeadamente a Moçambique Life Tabaco, Entreposto Comercial, Açucarreira de Moçambique, Kudumba e a Despachante Mauro Pereira.

O director regional centro da Autoridade Tributária (AT), António Pedro Bonzo, referiu ao O Autarca tratar- se de empresas que se destacaram nos anos fiscais de 2009 e 2010.

Por seu turno, a Chefe da Divisão para os Assuntos da Organização Mundial das Alfândegas (OMA) nas Alfândegas de Moçambique, Maria Machucola, explicou ao nosso jornal que a distinção destas empresas foi com base na escolha feita pela Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA), depois de observado que as mesmas preenchem os requisitos constantes dos termos de referência afim elaborados.

Ela revelou que os termos de referência basicamente referem-se a honestidade das empresas no cumprimento das suas obrigações fiscais, neste caso aduaneiras, ou seja, figurarem do cadastro de importadores que nunca tiveram registo de infracção.

MPDA despachante que inspira confiança

Referindo-se especificamente a Despachante Mauro Pereira, o Delegado das Alfândegas de Moçambique na Cidade da Beira, Manuel Nhacula, afirmou ao O Autarca ter sido considerada a melhor despachante a operar nesta região do País. Argumentou que a escolha baseou- se na confiança que a mesma inspira.

“A MPDA tem sido uma empresa despachante bastante eficiente, interpreta muito bem a base legal, apresenta documentos bem feitos, é a empresa que menos problemas nos traz. Em resumo é uma empresa que presta serviços de boa qualidade” – salientou Manuel Nhacula.

A Despachante Mauro Pereira existe desde 2006, tem a sua sede na Cidade da Beira e escritórios em Maputo e Machipanda.

O proprietário da mesma, Mauro Pereira, rigozijou-se pela distinção, tendo afirmado ao nosso jornal que se trata do reconhecimento do trabalho que tem sido desenvolvido pela sua empresa. “Nós somos a ponte de ligação entre as Alfândegas e o sector importador” – observou Mauro Pereira, para quem a MPDA se destaca pela eficiência e flexibilidade no desembaraço aduaneiro e segurança na canalização dos impostos ao Estado.

Kudumba destaca-se a sua importância para o País

A Kudumba, outra empresa distinguida pela sua evidência nos anos fiscais 2009 e 2010, refira-se, é a concessionária de Serviços de Inspecção Não Intrusiva, que fornece soluções integradas de segurança fronteiriça bem como tecnologia universal em serviços de segurança através da implementação, principalmente, de soluções únicas de segurança para satisfação das exigências das agências e dos organismos que operam nas fronteiras terrestres (incluíndo ferroviárias), marítimas e aeroportuárias.

O Director Regional Centro da Kudumba, Nigel Hallowes, afirmou ao nosso jornal que a distinção representa o reconhecimento da importância da sua empresa no País, recordando que a mesma está presente nas tres regiões de Moçambique, mais concretamente nas cidades de Maputo (Sul), Beira (Centro) e Nampula (Sul).

A Kudumba Investments Lda. vem actuando no mercado Moçambicano desde 2006 oferecendo as melhores e mais recentes tecnologias associadas à provisão de serviços de segurança nas fronteiras do País.

A Kudumba participou, com outras cinco empresas estrangeiras, de um concurso lançado pelo Governo de Moçambique, em Outubro de 2005, para provisão de equipamentos e serviços para a Inspecção Não Intrusiva de bens, veículos, pessoas, bagagem e outros serviços conexos para as Alfândegas de Moçambique.

No Contrato de Concessão, de vinte anos, destaca-se o facto de a Ku dumba Investments Lda., para além de fornecer equipamento e tecnologias modernos para apoiar um serviço de qualidade reconhecido, deve implementar e garantir a transferência de habilidades e de tecnologias para funcionários das Alfândegas e de outras entidades Governamentais ligadas aos serviços prestados bem como para os seus colaboradores.

Actualmente, a Kudumba conta com mais de trezentos trabalhadores, distribuidos pelos cerca de 11 Sites operacionais pelo País.

Açucarreira de Moçambique na linha da frente no combate a fuga ao fisco e a corrupção

Por seu turno, o Director para os Assuntos Locais da Açucarreira de Moçambique (AM), António Machado, referiu ao O Autarca que a distinção representa o reconhecimento de todo o esforço que a empresa tem realizado para o cumprimento das suas obrigações aduaneiras.

“Nós como empresa nos sentimos igualmente na linha da frente no combate a fuga ao fisco e a corrupção. Também nos sentimos na linha da frente pelo trabalho árduo que temos estado a desenvolver no ambito do combate a pobreza no nosso País” – afirmou António Machado.

A Açurarreira de Moçambique é uma empresa baseada em Mafambisse, Distrito do Dondo, na Província de Sofala. Detida maioritariamente por interesses económicos sul africanos, a Açucarreira de Moçambique representa um dos maiores investimentos na Província de Sofala e se destaca por absorver uma quantidade considerável de mão de obra.

Entreposto Comercial maior importador de equipamento agrícola e industrial

Já o Gerente da Entreposto Comercial na Cidade da Beira, Jorge Paraskiva, expressou que a distinção representa a grandeza e idoneidade da sua empresa no mercado nacional.

“Isso mostra que cumprimos com os nossos compromissos no que toca as importações que realizamos” – assinalou Paraskiva, para quem a Entreposto não há dúvidas é o grande importador na Província de Sofala, principalmente de equipamento Agrícola e Industrial.

Refira-se que o Grupo Entreposto teve o seu início em Moçambique na década de 40, com a constituição e desenvolvimento de um conjunto de empresas, com um núcleo comum de accionistas, operando basicamente nos sectores agro-industrial e comercial, agrupadas na antiga Companhia de Moçambique.

Em 1967, o mesmo núcleo de accionistas, viria a expandir para Portugal os seus investimentos com a constituição de uma nova empresa, Entreposto Comercial – Veículos e Máquinas, S.A. O desenvolvimento desta empresa alargou a presença do Grupo a outros negócios em Portugal, designadamente à importação de máquinas agrícolas e industriais, e induziu o investimento numa linha de montagem nova e metalomecânica associada, integradas no património do Entreposto Industrial – Metalotécnica, S.A. Em 1973, o mesmo núcleo de accionistas, viria a conduzir um movimento que transformou a Companhia de Moçambique numa Holding.

Outras premiadas

Foram igualmente premiadas a Moçambique Life Tabaco e a Escola Secundária Joaquim Marra, de Chimoio, esta última por ter se evidenciado na divulgação.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!