Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Agricultura cresce sete por cento em 2013

O ministro moçambicano da Agricultura, José Pacheco, disse, sábado, que a agricultura registou uma taxa de crescimento de sete por cento, estimulada em grande medida pelas condições meteorológicas e provisão atempada de sementes e outros factores de produção.

O referido crescimento representa um volume total da produção na ordem de cerca de 11 milhões de toneladas, segundo os dados referentes aos primeiros nove meses de 2013. sábado no programa Linha Directa da Rádio Moçambique (RM), emissora pública, disse que os cereais, as leguminosas, a mandioca, a batata-doce e reno e as hortícolas são os produtos que mais contribuíram na produção em cerca de 1.1 milhões de toneladas.

A nível das culturas de rendimento, o ministro destacou o crescimento na produção da castanha de caju, cana-de-açúcar, banana e um ligeiro crescimento no chá e citrinos. “O nosso sector fez, em 2013, uma grande revitalização da produção de semente, podendo destacar a contribuição da semente da batata, que está já aos níveis das nossas necessidades internas”, disse o ministro.

Em 2013, o sector agrário interveio na reabilitação de 2400 hectares de diver- sos regadios, para aumentar a produção e a produtividade. No que tange a transferência de tecnologias para o sector agrário, Pacheco disse que este sector contou com 658 extensionistas, tendo assistido, durante o ano prestes a findar, 685 mil produtores agrários.

“Esta rede de extensionistas conheceu um grande crescimento este ano na ordem de 14%”, vincou o titular da pasta da agricultura. Na produção pecuária, durante o ano de 2013, Moçambique registou um crescimento assinalável, sobretudo no aumento de efectivos bovinos.

“Nesse sentido, produzimos 11 mil toneladas de carne bovina, 49 mil toneladas de carne de frango, 1.1 mil toneladas de carne suína”, sublinhou o ministro, tendo acrescentado que o sector de leite também conheceu um salto qualitativo, ao contribuir com 2.5 milhões de toneladas. Estas realizações permitiram ao sector da agricultura reduzir, em 2013, o volume de importações.

“Estamos a reverter a situação da importação dos produtos agrícolas em geral, incluindo produtos alimentares, exportando mais e importando menos”, afirmou o ministro. Em termos comparativos, o sector agrícola exportou 791 milhões de dólares americanos em diversos produtos agrícolas contra uma importação de 292 milhões de dólares.

O ministro Pacheco reconheceu que o desafio na agricultura é o contínuo trabalho para reduzir a taxa de importação de hortícolas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!