Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Àfrica do Sul 0 – Uruguai 3: derrota pesada dos anfitriões

Àfrica do Sul 0 - Uruguai 3: derrota pesada dos anfitriões

Num Grupo tão equilibrado, onde todas seleções tinham 1 pontos resultado dos empates da primeira jornada, um lampejo de talento e alguma dose de sorte podem ser decisivos. Essa combinação foi vital para o Uruguai vencer os anfitriões e saltar para a liderança do Grupo A do Mundial da FIFA. No jogo disputado em Pretória, a equipa sul-americana deu um grande passo rumo a classificação às oitavas de final com o triunfo por 3 a 0 numa partida equilibrada, que acabou decidida por detalhes. Os primeiros dois golos da Celeste saíram dos pés do seu craque Diego Forlán, que fez uma excelente temporada pelo Atlético de Madri, sendo campeão da UEFA Europa League, e agora aplica seu poder de decisão em favor de sua seleção nacional.

No primeiro tempo, o craque arriscou um remate de fora da área aos 24 minutos e viu a bola desviar sutilmente no capitão sul-africano Aaron Mokoena, que encobria o guarda-redes Itumeleng Khune, e a bola teve ainda a sua trajectória alterada enganando o guarda-redes. O segundo foi de pênalti, aos 80 minutos, depois de Luis Suárez ser derrubado dentro da área. O terceiro veio, já com as ações definidas, com o lateral esquerdo Álvaro Pereira, que cabeceou sozinho na pequena área, no último minuto de jogo, já nos acréscimos, completando cruzamento perfeito de Suárez.

Para manter a históriade que os país-sede da Copa do Mundo da FIFA vê a sua seleção a avançar à segunda fase, a África do Sul vai ter de vencer a França na terceira jornada do grupo e esperar uma combinação de resultados favorável no outro jogo.  

Sem a mesma vibração, os Bafana Bafana não conseguiram repetir diante dos uruguaios o desempenho do jogo de estreia (especialmente o apresentado no segundo tempo). O ritmo desta segunda partida, mais amarrada e lenta, favoreceu o estilo de disputa combativa dos seus adversários, que contam com um posicionamento tático conservador para resguardar a defesa e apostam na combinação de Forlán e Suárez à frente para desequilibrar.

E foi o que aconteceu nesta quarta, especialmente no caso de Forlán, que atuou um pouco mais distante da grande área, como um articulador e até com certa liberdade, sem deixar de ameaçar a equipe de Carlos Alberto Parreira.

Agora os uruguaios jogam por um empate na terceira jornada, contra os mexicanos, para conseguir uma vaga na fase dos mata-matas, algo que não acontece desde a Copa do Mundo da FIFA Itália 1990. De lá para cá, o país, que é bicampeão mundial, havia disputado apenas o torneio de Coreia do Sul/Japão 2002, caindo na primeira fase com dois empates e uma derrota.

Destaque na partida de abertura do Mundial em empate com o México, no Soccer City, o guarda-redes sul africano, Khune, não vai poder participar do confronto decisivo contra os Bleus pois foi expulso na jogada de penalti que originou o segundo golo do Uruguai.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!