Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Primeiro Ministro Aires Ali em Beijing

O Primeiro-Ministro moçambicano, Aires Ali, chegou na terça-feira à capital chinesa para, a partir de quinta-feira, iniciar uma visita oficial de cinco dias ‘a China, a convite do seu homólogo chinês, Wen Jiabau. Nesta sua primeira deslocação a este país na sua qualidade de primeiro-ministro, Aires Ali faz-se acompanhar de sua esposa, Joana Francisco Maurício Ali.

E por uma importante delegação, destacando-se três ministros, uma ministra e um vice-ministro, nomeadamente Manuel Chang, das Finanças, Cadmiel Muthemba, das Obras Públicas e Habitação, Paulo Zucula, dos Transportes e Comunicações, Esperança Bias, dos Recursos Minerais e Eduardo Koloma, vice ministro dos Negócios estrangeiros e Cooperação.

A última vez que Aires Ali esteve aqui na China era Ministro da Educação, cargo que exerceu até o ano passado, antes de ser incumbido para este. Segundo o embaixador moçambicano acreditado aqui em Beijing, António Inácio Júnior, esta visita de Aires Ali a China visa reforçar os laços de amizade e cooperação que unem os dois países desde a década de 60 quando ainda o povo moçambicano lutava contra o colonialismo português em que a China foi um dos apoiantes, e que viriam a ganhar maior impacto e expansão logo depois da proclamação da independência de Moçambique em 1975.

O primeiro dia da vista de Aires Ali terá como um dos pontos mais altos as conversações oficiais que terá com o seu homologo chinês, na presença dos membros da sua comitiva juntamente com a da sua contraparte chinesa. Depois seguir-se-á visitas a uma série de instituições sedeadas aqui nesta capital chinesa habitada por, mais de 20 milhões de habitantes, o que empata com toda a população moçambicana. Um breefing feito pelo embaixador moçambicano ao primeiro-ministro Aires Ali e sua comitiva, ficou claro que a China está mais do que preparado a consolidar e expandir cada vez mais a sua cooperação com Moçambique.

Ele destacou que essa expansão deverá incluir os investimentos públicos e privados em Moçambique, e que tudo indica que nos próximos anos haverá grandes empreendimentos chineses em território moçambicano. Ele anunciou que nos finais deste mes será realizada em Xangai, a capital económica chinesa agora tida como a Nova Iorque de toda a Ásia, um seminário em que estarão presentes mais de 300 dirigentes de algumas das maiores empresas chinesas e que estão interessados em investir em Moçambique.

O embaixador Júnior mostrou-se muito optimista que nos provimos anos Moçambique será de facto um dos pólos ou co-epicentros dos investimentos chineses, dando como prova disso uma série de grandes projectos já esboçados e que deverão começar a ser implementados no país.

De notar que neste momento, a China está empenhada no financiamento e construção de grandes infra-estruturas em Moçambique, destacando-se o Aeroporto Internacional de Maputo, já na etapa final da sua primeira fase, bem como o Estádio Nacional também na capital moçambicana, os novos edifícios da Procuradoria da Republica e do Tribunal Supremo, para alem de uma série de estradas em vários pontos do país.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!