Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Acesso às praias será controlado

O acesso e uso das praias da cidade da Ilha de Moçambique, na província de Nampula, passara a partir do próximo ano, a ser controlado pelas autoridades municipais.

Estes já iniciaram com um programa de recrutamento de indivíduos que serão capacitados para protecção da orla marítima, uma das medidas que se afigura capaz de regredir o problema de fecalismo a céu aberto naquele que é o único património mundial da humanidade, no nosso país.

Alfredo Matata, actual edil da Ilha de Moçambique, disse que para os teimosos, serão tomada medidas administrativas que consistirão no pagamento de multas e em caso de resistência, o Estado será obrigada a usar da sua força para impor a ordem.

“Para além de guardas, outras actividades estão programadas, elas consistem na construção de uma vedação ao longo da margem, reabilitação dos sanitários existentes e já estamos a colocar iluminação, facilidade de abastecimento de agua e estamos convictos que a medida irá funcionar” – disse Matata. O fecalismo a céu aberto nas praias da Ilha de Moçambique, é um problema secular, de natureza cultural, que também preocupou as autoridades coloniais portuguesas.

Ainda em 1870, os responsáveis da então Repartição de saúde de Moçambique, recomendavam para a necessidade de as praias da Ilha deixarem de ser latrinas, onde toda a gente ia lançar as imundícies de suas casas.

Dados disponíveis indicam que já existem mais de três milhões de meticais para construção e reabilitação de infraestruturas, os já referidos sanitários públicos, para idosos desfavorecidos, isso nas suas próprias residências estando neste momento em curso o processo identificação dos elegíveis bem como a construção do muro de protecção da contra-costa.

De referir que o programa conta com suporte financeiro do Estado e seus parceiros e contempla ainda, trabalhos de manutenção do sistema de abastecimento de água potável e de abertura de mais poços para abastecimento de 20 mil pessoas, de um universo de 48 mil habitantes do distrito da Ilha de Moçambique.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!