Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

‘Accionistas’ da Frelimo denunciados em público

E m Mogovolas, o partido Frelimo encontra-se numa fase conturbada e de mútuas acusações entre os membros daquela formação política, e entre estes e os respectivos dirigentes.

Segundo apurou o Wamphula fax, o facto resulta do que se apelida de “privatização” do partido, supostamente protagonizada por alguns membros do Secretariado do Comité Distrital e da Assembleia Provincial residentes naquele distrito do sul da província de Nampula.

Esta questão foi despoletada no passado dia 29 de Março, durante um comício popular orientado pelo governador da província de Nampula que, semana passada, trabalhou naquela região.

Paulino Manuel Tavarava, um dos membros da Frelimo, pediu a palavra para denunciar a alegada existência, no seio do Partido, de indivíduos que se fazem donos do partido e que tudo decidem sem qualquer consulta aos outros membros.

Tavarava, que se intitula secretário do bairro de Meluli, cargo que afirma ter sido eleito num sufrágio interno que visava a revitalização das respectivas células, revelou ao governador Felismino Tocoli ter sido vítima de humilhações protagonizadas pelo referido grupo de indivíduos que decidiu substitui-lo no cargo por um elemento da sua confiança.

Outra pessoa que se considera lesada é Alzira Ranque, secretária distrital da Organização da Mulher Moçambicana (OMM), que cessou funções no dia 26 de Março último.

Ela sustenta que as eleições internas que originaram a sua despromoção do cargo teriam sido fraudulentamente orquestradas pelos dirigentes do partido ao nível do distrito. Estamos a passar mal aqui em Mogovolas. Existem indivíduos que se fazem donos do partido Frelimo.

Disse Alzira Ranque, acrescentando ter tentado, sem sucesso, contactar o representante do partido Frelimo na comitiva do governador, na sua recente visita aos distritos de Mogovolas e Meconta.

Entretanto, o 1º secretário do Comité Distrital daquele partido, Martinho Vasco Nogueira, nega qualquer possibilidade de agitação política no distrito de Mogovolas.

Sem entrar em muitos detalhes, Nogueira afirmou que o seu partido guiase sempre pelos princípios democráticos, sublinhando que as questões do partido tratam-se em fóruns apropriados e não em público.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!