Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Academia Militar Samora Machel encerra o segundo curso de milicianos

A Academia Militar Mareshal Samora Machel em Nampula realizou, último Sábado(2), a cerimónia de encerramento do segundo curso de oficiais milicianos, iniciado no passado mês de Fevereiro deste ano, envolvendo mais de 40 homens e mulheres, jovens licenciados em várias áreas do conhecimento e que vinham desempenhando as suas actividades noutras unidades das Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM).

Na circunstância, o comandante da Academia Militar, Victor Muirequetule, disse que o colectivo de oficiais recém-graduado, usou de forma proactiva o seu conhecimento e experiência, tendo contribuído para o desenvolvimento da instituição, e assegurou que eles irão, depois da sua formação, prosseguir com o cumprimento das actividades subsequentes.

Convidado para tecer algumas palavras alusivas à cerimónia, o secretário permanente provincial, António Máquina, saudou os esforços empreendidos pelos graduados, os seus familiares e o corpo docente na formação de homens que, naturalmente, vão contribuir para o desenvolvimento do país e da província em particular.

Segundo Máquina, trata-se de graduados que, igualmente, vão defender a soberania nacional e a cerimónia de graduação vai reforçar o número de quadros qualificados de que o país tem carência, sobretudo, no combate à pobreza.

Entretanto, aos recém-graduados, o governante apelou no sentido de fazerem o uso dos conhecimentos adquiridos na sala de aulas para melhorar a gestão e administração dos problemas de vária ordem para o crescimento da economia nacional acrescentando que aqueles diplomas devem produzir resultados para o benefício do povo.

Por seu turno, o chefe de Estado-maior general, Paulino Macaringue, salientou que, actualmente, as FADM´s têm como principal desafio, o desenvolvimento institucional através da profissionalização dos membros para que sejam mais eficazes e eficientes no cumprimento das suas missões.

Por isso, acrescentou que o encerramento do segundo curso de alferes milicianos reveste-se de uma importância particular, por ser o segundo curso desde que, nas Forças Armadas, foi introduzida a modalidade de formação destinada aos jovens que, tendo concluído o seu nível superior em diferentes áreas do conhecimento, ingressaram nas fileiras das Forças Armadas de Defesa de Moçambique em cumprimento do seu dever de cidadania.

Macaringue disse, ainda, que o curso de alferes milicianos consubstancia-se aos esforços que o governo tem vindo a levar a cabo na implementação do Estatuto Militar e no rejuvenescimento da classe de oficiais, oferecendo oportunidades de formação específica militar.

Aliás, a fonte frisou que o recrutamento e formação de jovens com ensino superior civil tem vindo a revelar-se uma forma de incrementar a capacidade institucional na medida em que estes trazem consigo saberes que, em complementaridade com a ciência, a arte e a doutrina militares, contribuem para a compreensão da dinâmica de evolução e desenvolvimento.

Este curso só terá sentido e valor se souberem colocar os conhecimentos e as capacidades aqui adquiridos ao serviço da instituição militar.

E a melhor forma de valorizarem esta formação passará por uma total entrega às funções a que vos forem confiadas – instou aos graduados, acrescentando que através da formação sejam oficiais proactivos e dotados de uma capacidade de reflexão de vastos conhecimentos militares.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!