Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

À vista “grave” crise de trigo a partir de Abril

O próximo mês de Abril afigura-se deveras negro no mercado panificador moçambicano por causa da “grave” falta de trigo que se perspectiva, tudo por causa do impacto negativo das cheias, ciclones e queimadas que fustigam a Austrália e Rússia, principais fornecedores daquele cereal ao país, segundo prognósticos avançados pelo Ministério da Indústria e Comércio (MIC).

Moçambique produz cerca de 23 mil toneladas de trigo, importando em média anual cerca de 480 mil toneladas daquele cereal proveniente, na sua maioria, da Rússia e Austrália, “onde nos últimos tempos a cultura está a ser destruída por desastres naturais”, de acordo com Armando Inronga, ministro da Indústria e Comércio, sem indicar a quantidade total de trigo importado por Moçambique daqueles dois países.

Entretanto, aquele governante frisou que até finais de Março de 2011 “não haverá falta e nem alteração do preço de trigo no país”, realçando, contudo, que “a escassez daquele produto deverá fazer-se sentir a partir de Abril próximo”.

A fraca capacidade de armazenamento daquele produto foi apontada por aquele dirigente como estando a “perpetuar” a dependência das importações daquele cereal, facto que, entretanto, “poderá ser minimizado com a inauguração do primerio silo de trigo”, em meados do presente ano de 2011, na província central de Sofala.

Refira-se que o trigo de Moçambique é produzido nas regiões de Xai-Xai e Chókwè, província de Gaza, Sussundenga e Tsangano, em Manica, Matama e Lichinga (Niassa).

Estudos desenvolvidos pelo Ministério da Agricultura indicam ainda que Chemba e Beira, na província central de Sofala, Montepuez, em Cabo Delgado, e Matutuíne, em Maputo, dispõem igualmente de potencialidades para produção daquele cereal.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!