Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

ADVERTISEMENT

A Proposta egípcia

O Obama republicano

     A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, expressou, esta quartafeira, o apoio da Casa Branca ao plano de mediação elaborado, horas antes, pelo presidente egípcio Hosni Mubarak com vista a um cessar-fogo entre Israel e o Hamas em Gaza. Também os 15 membros do Conselho de Segurança da ONU vêem com bons olhos a iniciativa egípcia. Mahmoud Abbas, o presidente da Autoridade Palestiniana e o secretáriogeral da ONU Ban Ki-moon elogiaram igualmente o plano de Mubarak. Já a embaixadora de Israel nas Nações Unidas, Gabriela Shalev, afirmou que acolhe “muito seriamente” a iniciativa do Cairo mas não quis adiantar se Telavive irá submeter-se a ele. “Estou certa que o plano será seriamente tido em conta. Israel irá analisá-lo e só depois decidirá sobre a sua aceitação.”

Em que consiste?
 
     O Cairo propõe um cessar-fogo imediato seguido de um início de conversações com vista à obtenção de um acordo que poderá abranger inclusive o fim do bloqueio a Gaza. Todavia o plano não faz qualquer menção ao deslocamento de uma força internacional que impeça o Hamas de se rearmar, como exige Israel de forma a garantir que não hajam mais ataques com foguetes contra o seu território. Mubarak também não explicou qual o papel exacto que o movimento islamista que governa Gaza irá desempenhar nas conversações que propõe. A proposta contém os seguintes pontos:
 
 1 – Israel e as facções palestinianas devem acordar de imediato um cessar-fogo por tempo limitado, que permita abrir com segurança um corredor humanitário com vista à chegada de auxílio humanitário a Gaza, dando tempo ao Egipto para continuar com os seus esforços com vista a lograr um cessar-fogo duradouro.
 
 2 – O Egipto convocará israelitas e palestinianos para um encontro urgente. Nele deveria chegar-se a uma acordo que garantisse que a actual escalada de violência não voltaria a repetirse. Esse acordo deveria desembocar na protecção das fronteiras na reabertura das mesmas e na suspensão do bloqueio.
 
 3 – As autoridades do Cairo convidam igualmente a Autoridade Palestiniana e as restantes facções palestinianas a, conjuntamente com o Egipto, unir esforços na busca de um acordo com vista à reconciliação nacional.
 
 
 
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: Content is protected !!