Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

A Politécnica vai tentar travar o Ferroviário de Maputo e o Desportivo de Maputo enfrenta o Ferroviário da Beira nas meias-finais do nacional de basquetebol

A Politécnica vai tentar travar o Ferroviário de Maputo e o Desportivo de Maputo enfrenta o Ferroviário da Beira nas meias-finais do nacional de basquetebol

Foto de Adérito CaldeiraAs últimas três jornadas da primeira fase do Campeonato nacional de basquetebol sénior masculino confirmaram sem surpresas que as quatro melhores equipas da actualidade são: o Ferroviário de Maputo, o Desportivo de Maputo, o Ferroviário da Beira e A Politécnica que, a partir de quarta-feira(03), vão disputar as meias-finais da prova que decorre na capital moçambicana. Na luta pela manutenção sobreviveu o Costa do Sol e descem de divisão o Maxaquene, CAME e Vaz Team.

Os “locomotivas” da capital são os principais candidatos ao título, na sexta-feira(29) até viram o Costa do Sol entrar melhor na partida, colocar-se na frente do marcador e sair para o intervalo a vencer por 38 a 43 pontos.

Porém a equipa treinada por Milagre Macome fez a reviravolta e somou a quinta vitória, por 92 a 77 pontos, continuando a sua caminha imparável para o título.

Ainda para a mesma jornada os ainda campeões em título, os “alvi-negros”, derrotaram o Maxaquene por 73 a 88 enquanto os “estudantes” da A Politécnica não deram chances aos estreantes do CAME e somaram a sua quarta vitória no Campeonato por 48 a 67 pontos.

A 5ª jornada ficou completa com os representantes da província de Sofala enfrentaram-se e levando a melhor o Ferroviário por 62 a 98.

“Locomotivas” de Maputo imparáveis

No sábado(30) os “locomotivas” de Maputo voltaram a ver os adversários, os “alvi-negros”, adiantarem-se no marcador mas prontamente deram réplica e assumiram o comando da partida e saíram do 1º período com uma vantagem de 7 pontos. No período seguinte o Desportivo defendeu com bravura o troféu que ainda é detentor e saiu para o intervalo a perder por 27 a 32 pontos.

Mas a equipa de Milagre Macome, bem equilibrada e com muitas soluções no banco de suplentes, voltou do descanso à todo o vapor e mostrou que não é por acaso que não tem nenhuma derrota esta época e venceu o 3º período com 11 pontos de vantagem.

Sem precisarem aplicar-se muito os “locomotivas” confirmaram a sua sexta vitória, diante de um Desportivo sem pernas para acompanhar o seu ritmo na caminhada para o título nacional.

Nas restantes partidas da 6ª jornada o Maxaquene derrotou a equipa do CAME por 73 a 48 pontos e manteve viva a esperança de manutenção porém o Costa do Sol, com quem os “tricolores” disputavam a vaga, também levaram a melhor sobre a equipa do Vaz Team Basket por 88 a 73 pontos.

A Politécnica que chegou a jornada como 2º classificado não teve estofo para enfrentar o Ferroviário de Nazir Salé e perdeu por 55 a 75 pontos.

Costa do Sol vence A Politécnica e garante lugar no escalão maior

A derradeira jornada da primeira fase disputou-se com as quatro melhores equipas já identificadas faltando apenas definir quem iria cruzar com o Ferroviário de Maputo nas meias-finais.

Os “locomotivas” do Chiveve conseguiram evitar a equipa de Milagre Macome vencendo o CAME por 82 a 59 pontos e o Desportivo de Maputo também furtou-se ao invencível Ferroviário de Maputo impondo-se ao Vaz Basket Team por 74 a 62 pontos.

Os “estudantes” não conseguiram evitar a derrota para o aflito Costa do Sol, por 61 a 66 pontos, e é muito provável que terminem o seu brilhante Campeonato nas meias-finais diante do Ferroviário de Maputo, que poupando alguns jogadores derrotou o Maxaquene por 69 a 60 pontos.

A vitória permitiu aos “canarinhos” um lugar cativo no principal escalão de basquetebol na próxima época enquanto o “histórico” Maxaquene, com uma equipa bastante jovem, vai ter que disputar a vaga da região Sul.

A classificação final da primeira fase ficou assim ordenada:

Nesta quarta-feira(03) começa a disputa das meias-finais, à melhor de 3 jogos, no pavilhão do Maxaquene.

A equipa de Carlos Niquice tem a hercúlea missão de tentar travar os “locomotivas” de Milagre Macome. Já o campeão, com o regressado Pio Matos, vai disputar contra o Ferroviário da Beira o outro lugar na final.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!