Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

A noite da música moçambicana em Nampula

A noite da música moçambicana em Nampula

Pela primeira vez na história, a cidade de Nampula esmerou-se para acolher a gala da final de mais uma edição dos prémios de música ligeira moçambicana, Ngoma Moçambique. O evento, que teve lugar no Clube dos Desportos do Ferroviário local, contou com a presença de artistas de grande envergadura do nosso panorama musical.

A menos de quatro meses para que a cidade de Nampula, capital do norte de Moçambique, se afigure o centro da cultura moçambicana – com a realização do VII Festival Nacional de Cultura, a acontecer entre 29 de Junho e três de Agosto –, na semana passada a urbe esmerou-se para acolher o maior evento da nossa música. Trata-se do programa Ngoma Moçambique edição de 2011.

Para fazer as honras da casa e aquecer o ambiente, foram convidados músicos e colectividades artísticas locais que, com requinte, apresentaram um espectáculo bonito para pouco mais de duas centenas de pessoas que se fizeram ao pavilhão dos desportos para testemunhar a atribuição dos prémios da finalíssima do Ngoma Moçambique, programa musical radiofónico organizado pela Rádio Moçambique (RM).

Numa noite glamourosa em que, com performances deslumbrantes, diversos artistas da música moçambicana subiram no palco para dar o seu melhor, Mr. Bow e Filó arrecadaram os principais galardões, com as canções “Nita Tidlhaya” e “Moçambique”, respectivamente. Na ocasião, as actuações das intérpretes moçambicanas Domingas e Belita galvanizaram as atenções do público que, primeiramente, se mostrava tímido e recatado.

Sabe-se que concorreu para edição 2011 de Ngoma-Moçambique um total de 35 músicas das quais apenas 14 é que foram classificadas. Refira-se que do universo das canções, 16 eram candidatas à categoria “Prémio Revelação”.

Deste modo, a música “Moçambique” de Filó foi classificada pelo júri como a “Melhor Canção”. Mr. Bow, ou simplesmente Kota de família, arrecadou o prémio “Música Mais Popular” com o “Nita Tidlhaya”. As classificações valeram aos artistas um valor monetário de 60 mil meticais e 65 mil meticais, respectivamente.

Zena Abacar, a decana da música moçambicana e vocalista principal do agrupamento Eyuphuro, recebeu o “Prémio Carreira”. Os irmãos Willy e Anibal Matine com a canção “Caminho”, a pequena Cuca, com “Fica só”, ficaram com os galardões de “Melhores Vozes” masculina e feminina, respectivamente. O prémio “Revelação” coube ao músico Nandov com o tema “Pegue nas suas coisas”, na categoria masculina, e Chibunga, com a canção “Vana”, na categoria feminina.

A festa

Se a realização do Ngoma Moçambique na cidade de Nampula pode ser equiparada ao amor à primeira vista, a fraca adesão do público local ao evento quase que colocava em causa o sucesso da festa. Os nampulenses não se fizeram de forma massiva ao evento, de tal sorte que os que lá se encontravam mostravam-se tímidos.

No entanto, se há algo de que os artistas se podem congratular – além dos prémios arrecadados – foi a sua capacidade de avivar o evento. Artistas como os Tchakas, Ta Basily, Teté, Sandra Isaías, Stewart Sukuma, Lorena, os irmãos Willy e Aníbal Matine, Rahima, Bob Lee, Carla José, Mr. Bow e as irmãs Domingas e Belita, cada um com a sua maneira peculiar de interpretar e fazer música, actuaram instalando uma festa memorável.

Na verdade, até ao período anterior à realização do concerto, o público mostrava-se monótono, um comportamento que foi radicalmente modificado pela actuação de Stewart Sukuma ao apresentar a canção “Caranguejo”.

De qualquer modo, o ponto mais alto do evento dar-se-ia com a performance das irmãs Domingas e Belita que, ao apresentarem a música “Ossikhine”, o mesmo que pobreza, foram altamente ovacionadas. Houve quem tenha afirmado que os nampulenses vibraram com a música daquela dupla pelo simples facto de a mesma ser interpretada num idioma local, a língua emacua, uma posição que foi imediatamente contraposta pelos partidários de que a música é uma linguagem universal.

De acordo com a organização, no próximo ano, a cidade de Chimoio, capital da província de Manica irá acolher a gala da final do Ngoma Moçambique 2012. Recorde-se que, desde a sua fundação, em 1987, o evento para a divulgação dos resultados do Ngoma Moçambique nunca tinha decorrido fora da cidade de Maputo.

Por isso, a província da primeira capital moçambicana – a cidade de Nampula, onde se localiza a histórica Ilha de Moçambique – estreou-se na recepção do evento cuja realização contínua nas demais pretende-se que passe a ser uma tradição.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!