Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

60 embarcações pesqueiras interrompem as suas operações

Cerca de 60 embarcações pesqueiras moçambicanas acabam de interromper as suas operações devido ao agravamento constante dos preços dos combustíveis e à crise financeira mundial que se manifesta através da redução do preço do marisco no mercado externo.

 

 

A queda de preços naquele mercado tem resultado na redução da demanda do camarão no mercado da União Europeia, tido como principal receptáculo das exportações moçambicanas do marisco “e, para agravar a situação, há o facto de o sector pesqueiro deparar-se com a falta de investimento público e privado”, segundo o Projecto de Comércio e Investimento (PCI) que presta assistência técnica à Unidade de Apoio à Implementação de Protocolos Comerciais (UTCOM) do Ministério da Indústria e Comércio.

O PCI acaba de patrocinar uma pesquisa destinada a avaliar as oportunidades de investimento no sector pesqueiro e outras intervenções visando apoiar o desenvolvimento e tornar o sector e Moçambique mais competitivos no mercado global e ainda melhorar o valor e renda dos actores envolvidos na pesca e comercialização de produtos pesqueiros, para além de propor recomendações e políticas necessárias para melhorar a competitividade dos operadores pesqueiros locais.

Camarão totalmente explorado As constatações do estudo foram no sentido de que Moçambique possui recursos pesqueiros limitados, o que faz com que a sua gestão seja uma questão extremamente importante e que o camarão de águas superficiais é considerado totalmente explorado, enquanto o de águas profundas e outras espécies são considerados ainda com algum potencial para exploração.

Medidas de gestão do camarão estão, entretanto, a ser tomadas visando a sua exploração sustentável, segundo se propõe o Governo fazer ao longo do próximo ano de 2011, no seu Plano Económico e Social a ser aprovado dentro de dias pela Assembleia da República (AR).

Entretanto, para 2011, na produção de pesca comercial estão projectadas cerca de seis mil toneladas de camarão e na de pesca artesanal cerca de 2800 toneladas.

A Espanha absorve maior volume das exportações moçambicanas na ordem de 48%, continuando a União Europeia a ser o mais valorizado parceiro económico do Governo e detentor do mercado das exportações dos produtos pesqueiros nacionais. Outros mercados são, nomeadamente, Japão e Estados Unidos da América (EUA).

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!