Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

1ª exportação do carvão de Benga em Setembro

A Riversidale, companhia mineira australiana concessionária do projecto de produção de carvão de Benga, em Tete, deverá realizar a primeira exportação em Setembro deste ano para a Índia.

Serão cerca de dois milhões de toneladas de carvão a serem compradas pela Tata Stell Índia, que tem já garantidos com a Riversdale cerca de 45% da produção do carvão de Benga, em Tete, “mas tudo ficará a depender da conclusão das obras de reabilitação da linha férrea do Sena, cujos trabalhos sabemos que estão atrasados” , indicou ao Correio da manhã Carla Ribeiro, da Riversdale.

Ajuntou que a sua companhia tudo está a fazer para que as obras de construção do centro de processamento de carvão já em curso sejam conluídas por forma a que as exportações sejam feitas em Setembro próximo.

Projecções da companhia australiana indicam que a mina de Benga tem uma capacidade de produção de 20 milhões de toneladas de carvão a céu aberto por ano, devendo na fase inicial serem extraídos cerca de 5,3 milhões/ ano de toneladas, das quais cerca de dois milhões serão produto final para exportação.

A fase de expansão prevê uma produção de 20 milhões de toneladas e dez milhões de toneladas do produto final em 2013, envolvendo 170 trabalhadores com vínculos directos, dos quais 41 estrangeiros.

Actualmente labutam na companhia 1450, entre empreiteiros, pedreiros, carpinteiros e outros assalariados contratados e subcontratados.

A maior parte dos assalariados vem das comunidades circundantes do projecto de Benga. Eles são recrutados e treinados em áreas específicas num centro aberto na cidade de Tete, em cursos que duram, aproximadamente, três meses em cada acção de capacitação.

A concessão da mina é de 25 anos renováveis por outros tantos, durante os quais será aplicado cerca de um bilião de dólares norte-americanos e mais 1,2 bilião de USD na central térmica de Benga para produção de energia, entre 2013 e 2014, e para serem distribuídas através da rede nacional de transporte com uma porção a ser consumida pelos projectos mineiros de Benga e do Zambeze da Riversdale.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!