Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhoquices da semana: Trégua prorrogada; Mentira do Governo sobre emprego; Sustenta

Xiconhoquices da semana: Novo Regulamento de Transporte em Veículos Automóveis; Passaporte falso de Nini sem falsificadores; Campanha eleitoral da Frelimo

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

Trégua prorrogada

ɸ no mínimo, caricato a situação político-militar que se assiste nosso país. A paz, um direito de moçambicanos que vem sendo tirada pelas Forças de Defesa e Segurança e a Renamo, tem vindo a ser restabelecida a conta-gotas, como se fosse um favor para o povo. Não se entende por que carga de água não se declara a cessação das hostilidades, de modo que os moçambicanos possam retomar a normalidade a sua vida. Dezenas de indivíduos foram forçados a abandonar as suas zonas de origens devido ao conflito armado. Primeiro, foi anunciada a trégua de um mês, dando esperança de que a situação tende a melhorar, e mais tarde dois meses. Após 60 dias, a trégua foi prorrogada por igual tempo, até 04 de Maio próximo, anunciou o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, numa tele-conferência a jornalistas na capital da moçambicana. Até quando os moçambicanos terão de se contentar com meia paz?

Mentira do Governo sobre emprego

O Governo de Moçambique é um Governo sem escrúpulos, e não se farta de mentir para os moçambicanos. Mente de forma descarada. Mesmo calado, mente. Sem vergonha na cara, o Governo de Nyusi insiste na retórica que está a criar centenas de milhares de postos de trabalho que ninguém consegue vislumbrar onde e quando foram criados. Durante os anos de independência, o sector público e privado criou somente 1.366.738 postos de trabalho, mas o Executivo de Filipe Nyusi propôs-se, através do seu plano quinquenal, a criar em apenas cinco anos 1.483.562 novos empregos. Até agora quase nada foi feito para a criação de mais postos de trabalho para cerca de 300 mil jovens moçambicanos que atingem a idade economicamente activa e procuram o seu primeiro emprego todos os anos.

Sustenta

Lançado com toda pompa e circunstância, o projecto Sustenta parece uma trapaça. Aliás, depois da experiência falhada dos “Sete milhões” que foram distribuídos usando o critério de filiação partidária, tudo indica que vai se implementar mais um outro projecto que já nasce falhado, pois a forma como o dinheiro deverá chegar aos camponeses, que não se beneficiam directamente dos financiamentos por estes restringem-se a quem tenha acesso ao sistema bancário. O Presidente Filipe Nyusi disse no evento de lançamento do Sustenta que o mega-projecto é uma mudança de paradigma na forma de olhar para o desenvolvimento rural. Até pode ser um novo paradigma, mas traz consigo o problema de sempre. Enfim, não se pode esperar grande coisa do Governo da Frelimo.

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!